O bom da vida é sair por aí...Descobrir o mundo, descobrir as pessoas e as coisas...Sentir, olhar, experimentar... viver o que é bom e saber diferenciar...ampliar os horizontes sem ter medo de ousar!!!!

Por Camila Marinho

31 de março de 2009

Os 15 segundos de fama...

Samuel é apenas um bebezinho, mas já conquistou os 15 segundinhos de fama na TV!!! Foi no último domingo, numa reportagem feita por mim e sobre mim...

Vamos às explicações: como domingo foi aniversário de Salvador, o Rede Bahia Revista, um programa local, mostrou as impressões que alguns repórteres de fora tem da cidade. Como eu sou uma das repórteres "estrangeiras", falei sobre a minha vida em Salvador. A editora-chefe do programa achou que seria interessante mostrar o fruto da minha vida aqui: Samuel! E enquanto mãe babona, eu não hesitei em aprovar a idéia.

A reportagem pode ser vista clicando aqui. Está no segundo bloco do programa exibido no dia 29 de março. Primeiro vem uma matéria de outro repórter e logo em seguida vem a minha. Samuel aparece no fim da minha reportagem. Vale a pena ver o sorrisinho mais lindo desse mundo.

Pra encerrar o post, foto, claro!
Aqui com o primo Jonnathan, que voltou para casa mas deixou saudades por causa do carinho que teve com Samuel!

30 de março de 2009

Séculos de história...

Salvador completou ontem 460 anos! Festeira e com título de capital da alegria, a cidade comemorou seus séculos de história com grande show no Farol da Barra. A reportagem foi ao ar no Bom Dia Brasil hoje e pode ser vista clicando aqui.

Abaixo, um registro que eu fiz da Igreja do Senhor do Bonfim com as famosas fitinhas amarradas no portão de entrada.



Mudando de assunto, quero agradecer a todos que passam por aqui e deixam recadinhos ou mandam e-mails. Infelizmente meu tempo anda corrido e por isso não estou respondendo. Mas leio um por um! Espero poder responder ou dar um alô em breve...

26 de março de 2009

Bandeira branca

Dirigir é algo que me dá prazer!

Adoro pegar o carro, nem que seja para ir até a esquina (brincadeira, é claro!). E, modéstia à parte, dirigir é algo que eu sei fazer muito bem!!!
Nesse aspecto pareço um homem. É que na minha opinião os homens dirigem muito melhor do que as mulheres!!! Não há nem o que discutir (e esse não é o objetivo deste post)!!!

Voltando ao assunto direção, eu diria até que dirigir é uma terapia pra mim, não fosse o stress do trânsito! Aliás, o MEU stress. Sou do tipo que detesta motorista lerdo, motorista que faz barbeiragem, motorista medroso, motorista mal educado.

Aí é que está o "x" da questão. Me falta paciência para aguentar tudo isso! Já fui do tipo de xingar, de abrir o vidro e fazer um gesto daqueles, e até de enfrentar o motorista do carro ao lado. Já fui... não sou mais!!! Mas ainda me falta paciência. Às vezes eu me pego xingando sozinha. E muitas vezes meto a mão na buzina para descarregar a raiva....

Mas hoje eu cheguei à conclusão de que preciso mesmo melhorar. Relaxar, ficar zen, deixar a raiva de lado.

Depois de um stress idiota, acabei estragando parte da lateral do carro. Quando dizem que a raiva deixa as pessoas cegas, é verdade. A raiva cega, tapa os olhos!!!!

Agora, bem mais calma, eu me pergunto: de que adiantou a raiva??? Nada, a não ser um belo prejuízo na conta bancária. E enquanto eu não arrumo o estrago, a vergonha de andar com o carro amassado e arranhado. Sim, porque o meu orgulho era ter o carro intacto, sem um arranhão sequer!!!!

Depois ainda fiquei pensando: ser bom motorista é apenas saber dirigir bem??? Desviar de um buraco, evitar uma batida e não fazer barbeiragem???

Nada disso! É preciso ter calma, paciência e bom humor no trânsito!

Preciso aprender a ser uma boa motorista!

Depois de hoje, a minha autoescola (olha a nova ortografia aí) é a da paz! Paz no trânsito!

Bandeira branca!!!

25 de março de 2009

Foto da semana e homenagem



Se os carecas também amam, os banguelos também podem chupar laranja...

******

Homenagem ao Galo mais lindo do mundo pelos 101 anos de alegrias, raça e paixão!!!

23 de março de 2009

Sorria, você está na Bahia

A Bahia vive uma situação dramática por causa da dengue, que não para de avançar pelo Estado. Os números aumentam a cada dia, e em algumas cidades já foi decretada situação de emergência. Em Salvador, apesar das autoridades dizerem que AINDA não há um surto, os números da doença aumentam a cada dia. E a população, que deveria fazer a sua parte, parece que ainda não se conscientizou sobre o perigo da dengue!

Cenas como a da foto abaixo são comuns na capital baiana...



Dia desses, fazendo uma matéria sobre a dengue na periferia, um morador chegou perto de mim dizendo que a prefeitura não fazia nada, que isso, que aquilo, blá, blá...

Educadamente (mas morrendo de raiva) eu perguntei:

- "Meu senhor, quem é que joga o lixo na encosta? É você ou a prefeitura???"
- "Ah, mas todo mundo joga...Não é só eu!" - disse ele
- Só porque todo mundo faz, você vai fazer também?? Faça sua parte" - respondi.

A realidade é: enquanto as pessoas forem mal educadas e não se conscientizarem, a doença vai continuar fazendo vítimas. Não há governo no mundo que consiga acabar com a dengue sem contribuição, sem colaboração do povo!!!

Faltam políticas públicas? Faltam..
Mas falta principalmente educação!

Um copinho jogado na rua, uma lata de refrigerante, uma inocente tampinha de garrafa pet... Tudo vira foco do mosquito se a água acumular!

Há duas semanas eu tive que pedir à administração do meu prédio para colocar areia nos pratinhos das plantas!!! Imagine só! A essa altura do campeonato, 28 mortos no estado, e o pratinho cheio de água!!!

Não faz mais do que um mês e eu tive que tirar a capa de um carro aqui no prédio porque estava repleta de água empoçada da chuva!!! Eu havia pedido para a administração fazer isso, já que o morador irresponsável estava viajando. E nada! O marido tornou a pedir! E nada! Cansada da demora, eu mesma fui lá e arranquei a capa!!!

É mole ou quer mais?

Pra prevenir, tirei a mão do bolso e comprei repelente adulto e infantil (receitado pela pediatra para Samuel)!!!


Hoje, entrevistando uma mulher, ela disse algo muito interessante:

" O povo tem consciência de que tem carnaval, tem consciência de que tem futebol, tem consciência de que tem festa. Mas ainda não tem consciência de que é preciso ter educação. E ainda não tem consciência de que a dengue mata".

Faça sua parte.

Não jogue lixo na rua.

Ajude a acabar com a dengue!!!

20 de março de 2009

Foto da semana


Meu bebezuco já está um rapaz. Engatinha pra todo lado (e acaba indo para os lugares proibidos, como tomadas, fios, etc), se apóia no sofá ou grade do berço para ficar em pé e, quando fica em pé, é tão gracioso que já solta as mãos e permanece por uns 3 segundos até cair de bunda.

Fofo demais!!!

18 de março de 2009

Meia década...

Tudo começou com uma entrevista. Eu, repórter. Ele, jogador de futebol.

O dia era 25 de fevereiro de 2004. Uma terça-feira de carnaval.
Quem deveria ter ido ao treino era um outro repórter, que normalmente cobria futebol. Mas ele estava de folga no dia. E a matéria acabou ficando pra mim.

Apesar de adorar futebol, me lembro que a idéia de cobrir o tal treino não me parecia muito interessante. Afinal, eu era recente na cidade e pouco sabia sobre os times de Maceió.

Mas segui com a minha função. Foi engraçado porque eu já havia entrevistado alguns jogadores quando um ajudante do time me perguntou se eu gostaria de entrevistar o goleiro. Antes mesmo de responder, já pensei numa frase para encaixar o goleiro no meu texto: "fulano, que tem a responsabilidade nas mãos, blá, blá, blá..."

- "Ok. Pode trazer o goleiro". - disse eu ao homem.

O goleiro veio e a assim que o cumprimentei ele me fez uma pergunta:

- "Você é mineira, não é??"
- "Sou sim" - respondi com uma risadinha...

E segui com a entrevista. Fiz as perguntas e agradeci. Enquanto "rabiscava" o texto, ele ficou ao meu lado puxando conversa. Mas logo se despediu por causa do início do treino...

Uma semana depois, o repórter de esporte chegou na redação e me perguntou se eu havia ido cobrir o treino de futebol. Também me perguntou se eu havia entrevistado o goleiro.

- "Sim, por quê????"
- "Ah, ele pediu seu telefone"
- respondeu ele.
- "Ai Klébs, depois eu dou"...

Mais uma semana se passou e o repórter, Klébs, chegou perto de mim e disse:
- "Camila, o goleiro quer seu telefone".
- "Ah não Klébs, não tô afim não"...
- "O que é que tem?? É só para conhecer mesmo".... - disse ele.
- "Tudo bem, pode dar"....
E encerrei a conversa.

Alguns dias depois o telefone toca. Era o tal goleiro me chamando para sair.
Inventei uma desculpa.

No dia seguinte, mais uma ligação.
- "Ah, estou com dor de cabeça"! - menti.

E no outro dia, nova ligação:
- "Ah, vou trabalhar até mais tarde" - menti novamente.

Apesar disso, fiquei com dó do pobre coitado e resolvi ligar de volta. Mas só liguei porque eu sabia que ele estaria concentrado para o jogo e não poderia sair. Ele não atendeu, mas eu deixei um recado (só para não parecer mal educada).

No dia seguinte ao recado, meu celular ficou desligado praticamente o tempo todo (por outros motivos). No único momento em que liguei o celular o telefone tocou.

Era ele me chamando para sair. Mas nesse dia ele nem me deu tempo de negar. Eu acabei indo...Era 18 de março de 2004! Naquele dia começava a minha história de amor...

Estava escrito. Tinha que ser...Era o destino pregando uma peça... Não adiantava fugir..

Um mês e meio depois fomos morar juntos. Com nove meses casamos na igreja. E aqui estamos. Agora com um fruto desse amor, Samuel. Só tenho a agradecer a Deus pelo marido e pela vida que ele me deu!

14 de março de 2009

11 de março de 2009

7 meses e outras surpresas...

Ontem meu "biscoitinho" fez 7 meses...Está fofo, esperto e muito gostoso.

Já se arrasta para todos os lados (não podemos tirar os olhos dele), está praticamente engatinhando (com os joelhos mesmo), falando ma-ma-ma-ma-ma (não sei se é mamãe), dando gritos e mais gritos, comendo bem, ainda mamando no peito e cheio de energia!!!

Está numa mania incrível de "comer" a fralda de pano. Imagino que deva ser a gengiva coçando, pois ele enfia a fralda na boca com uma força que só falta comer mesmo!!!

Para comemorar os 7 meses, cantamos parabéns com um bolinho simples, velinha e pratinhos do Ursinho Pooh...



Detalhe do bolo...



E no dia em que completou 7 meses, Samuel conheceu pessoas especiais: a Tia Mércia e os primos Jonnathan e Sthefani, que vieram de Arapiraca, no interior de Alagoas...

Abaixo com a prima...



O primo Jonnathan...



E aqui com a Tia Mércia...

8 de março de 2009

Mulher...

"Não se nasce mulher: torna-se."
Simone de Beauvoir


"Mulher é mesmo interessante:
mesmo brava é linda
mesmo alegre, chora,
mesmo timida, comemora,
mesmo apaixonada, ignora,
mesmo fragil é poderosa!"
Autor desconhecido

5 de março de 2009

Foto da semana



Ele já se arrasta como uma minhoca, mas ainda ensaia os verdadeiros passinhos para engatinhar: coloca a bunda lá em cima, estica as pernas, dá umas passadas e volta a se arrastar!

******

RAPIDINHA

Espontaneidade de criança é algo que não tem preço. Estava eu no play do prédio com Samuel já adormecido nos meus braços quando me aparece uma criança chorando alto. Ao ver que Samuel estava numa gostosa soneca, a babá fala para o menino:

- "Fulano, não chore. Assim você vai acordar o bebezinho que está dormindo."

Imediatamente o garoto olha para Samuel, cessa o choro e pergunta:

- "E onde é que eu vou chorar????"

- "Em casa", diz a babá.

Nesse instante a porta do elevador se abre, a babá e o menino entram e o choro recomeça...

3 de março de 2009

A morte da Vida...

O legal do jornalismo é a falta de rotina. Cada dia é uma coisa nova, um assunto diferente (a não ser quando a repercussão é tão grande a ponto do assunto virar manchete por vários dias) e uma história pra ficar registrada na memória.

Alguns dias são mais emocionantes: a gente não para um segundo sequer e muitas vezes não tem tempo nem de sentir fome ou sede. Aliás, a única sede é por notícia. Em outros dias falta emoção, falta adrenalina, falta energia.

Mas o que é mais gostoso é não ter rotina. E conhecer fatos e causos curiosos. Dias desses fui cobrir uma matéria sobre um "cachorro" de 4 centímetros (as aspas eu explico depois). Cheguei na casa de Dona Fulaninha e lá veio ela me mostrar o que poderia ser o menor cachorro do mundo. Um bichinho, uma coisinha de apenas 4 centímetros. A cadela dela havia parido sete filhotes normais, e o outro seria 6 vezes menor. Olhei meio ressabiada, mas no fim das contas já estava enxergando um cachorro. No dia seguinte, depois que a matéria foi ao ar, o assunto em Salvador era o cachorro minúsculo.

Tamanha repercussão, resolvemos voltar na casa de Dona Fulaninha com um veterinário para que ele pudesse dizer se aquilo era mesmo um cachorro ou não. Chegando lá, não é que Dona Fulaninha estava famosa??? Todas as outras emissoras de TV concorrentes (além da mídia impressa) estavam na casa dela. Conversamos com o veterinário, mostramos o bichinho minúsculo e lá veio a bomba: era quase certeza ser um filhote de rato, e não um cachorro. Antes de mais nada, uma coisa precisa ser dita: Dona Fulaninha não queria se promover, ganhar fama e virar artista não. Ela realmente acreditava que o bichinho, apelidado por ela de Vida, era um cachorro. E Dona Fulaninha tratava Vida com todo amor e carinho. Dava leite ordenhado da cadela (a cadela que ela acreditava ser a mãe de Vida) através de uma seringa, chamava Vida de meu amor, colocava Vida pra dormir junto com ela e não deixava ninguém ficar pegando em Vida...Vida pra cá, Vida pra lá... Um chamego só.... Mas aí o mundo de Dona Fulaninha começou a desabar. Aquele "fofo" animal poderia não ser tão fofo assim e se transformar num rato nojento e fedido!

Perguntei a ela: - E ser for um rato???
Eis que Dona Fulaninha responde: - É uma vida né... vou continuar cuidando. Se for mesmo um rato depois eu solto..."

Segundo Dona Fulaninha, que foi mãe de cinco (cinco filhos, não cinco filhotes), o instinto materno falava mais alto. Eu, que pari há tão pouco tempo, não tive esse "instinto materno"... Vai entender...

E aos poucos tudo indicava ser Vida um rato...Mas Vida continuava com Dona Fulaninha. Ainda como parte da reportagem, fui ao zoológico e mostrei filhotes de rato. Todos parecidíssimos com o filhote de Dona Fulaninha...

Mesmo com a quase certeza de ser um rato, a curiosidade quanto ao futuro de Vida só aumentava...Apelidos não faltaram: cachorrato, o rato filho do cachorro, Ratatouille, Ratazana...

Nos bastidores da redação ficávamos brincando sobre qual seria a próxima matéria: o lançamento de Vida no esgoto? Ou o rato de estimação????

Tudo começou na quinta-feira passada. E eis que no sábado Vida partiu desta para uma melhor... Ficou o mistério: rato ou cachorro??? Poderia até virar um filme: "A morte da Vida"...

E assim eu me divirto enquanto trabalho...
Pra encerrar este post, fotos da minha Vida...

Olha a cara de quem adora fazer arte...



Comendo a sandália...



E com o pai no aniversário de um amiguinho do prédio. Detalhe: festa à fantasia com o tema "Ressaca do Carnaval". Ele foi de pirata, e lá encontrou outro pirata...