O bom da vida é sair por aí...Descobrir o mundo, descobrir as pessoas e as coisas...Sentir, olhar, experimentar... viver o que é bom e saber diferenciar...ampliar os horizontes sem ter medo de ousar!!!!

Por Camila Marinho

30 de agosto de 2009

O circo...

Semana passada fui fazer uma reportagem sobre os bastidores do "Cirque du Soleil". Conheci a cozinha, o camarim, a escola montada sob as tendas (para os filhos dos artistas) e toda a estrutura da maior companhia de circo do mundo! É uma mega estrutura e um regime de militar, com regras e horários rigorosos para tudo!

ABRE PARÊNTESES
Fiquei fascinada e tive vontade de virar artista de circo (hohoho). Imagina viajar o mundo, fazer o povo rir e se encantar, e ainda ganhar bem pra isso??? Por outro lado, não ter casa (serve sua mala?), não ter cidade, não ter vida em família e não ter amigos por perto(a não ser os do circo), não deve ser das coisas mais agradáveis... FECHA PARÊNTESES

O bom de conhecer os bastidores foi conhecer também alguns dos artistas e suas histórias. Aproveitei para gastar todo o meu inglês com eles (a não ser pelos brasileiros, ninguém fala português)! E adorei conhecer a história dos contorcionistas Jerome e Anna. Ele francês, ela canadense. Dos filhos, um nasceu nos EUA e outro em Cingapura. Imagina a mistura!!! Quando ouvi do filho mais velho, de 7 anos, que ele queria ser "clown" (palhaço), pensei: "Palhaço??? Tanta coisa no Circo de Soleil e esse menino quer ser palhaço???"

Só fui entender o motivo depois que assisti ao espetáculo, na última sexta-feira. Fiquei encantada! É muito, muito bom. E perfeito!

Sobre ir ao circo, esse foi um capítulo à parte. Foi surpresa para o maridão. Disse a ele que iríamos "ali". Tapei os olhos dele com um lenço e fui dirigindo. Pense numa pessoa ansiosa, que queria tirar o lenço a todo custo?? Era ele! Quase perdi a paciência.

ELE
- Já posso tirar?

EU
- NÃOOOOO!!!!!

((30 SEGUNDOS DEPOIS))
ELE
- Está me dando agonia... vou tirar!

EU
- NÃOOOOO!!!

((MAIS 30 SEGUNDOS DEPOIS))
ELE
- Isso tá me incomodando.. vou tirar...

EU
- NÀOOOOO!!! Relaxe, aproveite pra dormir, conte carneirinho...

E foi assim o caminho todo. A única coisa boa foi dirigir sem que ele desse "pitaco" do meu lado. Ah, bom também foi ver a cara do funcionário do estacionamento quando viu maridão com uma venda nos olhos... imagino o que deve ter pensado!

As fotos abaixo foram durante o intervalo do espetáculo "Quidam"



A pipoca e o refrigerante mais caros da minha vida: R$13 a pipoca e R$5 cada latinha...Pelo menos levamos o balde de pipoca para casa!

26 de agosto de 2009

Castelinho de areia

Apesar de morar em cidade de praia, fazia tempo que eu não ia à praia. Mas no último domingo aproveitei que o tempo estava bom e levei Samuel a uma praia pertinho de casa. Ficamos pouco tempo, mas deu para curtir. E ele estreou os brinquedinhos de praia, presente da vovó de BH.

Eu mesma não curti nada. Foi-se o tempo... hoje meu programinha é de mãe. É um olho em Samuel e outro nos pertences. Nada de estirar a canga, sentar, se bronzear e beber uma cerveja gelada.

Me lembro da época em que morei em Maceió. Todo dia eu ia à praia, mesmo que fosse para correr na areia. E exibia um bronzeado de fazer inveja. Hoje estou na minha cor natural, branco parmalat. Mas quer saber?? Sol envelhece e causa câncer de pele. Antes viva e branquela, do que bronzeada e enterrada (ou melhor cremada, que é o quero ser...)!!!

Voltando a falar de Samuel, o bichinho gostou mesmo. Ficou todo o tempo numa piscininha natural, brincando com o baldinho e pazinha. Depois ganhou a companhia de outras crianças, que até peixinho levaram para ele.


Abaixo, Samuel observando os peixinhos...Delícia, né não???

25 de agosto de 2009

Nada de casinha de revista

Sabe aquela sensação gostosa de entrar em casa e "se achar" dentro da revista "Casa Cláudia"???

Pois é querida leitora...depois dos filhos esqueça!!! A decoração muda de vasinhos, velinhas e afins para brinquedo, bola, elefante de plástico, urso de pelúcia... E o que é pior: tudo espalhado pelo chão, pelos quartos, pelo sofá!



E com tanto brinquedo espalhado pela casa, essa criatura de Deus ainda acha mais graça em abrir e fechar porta. Pode?

22 de agosto de 2009

O primeiro ano de nossas vidas...


Quando me falavam que os dias passariam voando eu não acreditava. Pensava: "que nada, vai custar a passar". Ainda bem que eu curti bastante, porque o tempo realmente passou depressa demais. Tão depressa que às vezes custo a acreditar!

Parece que foi ontem. Às 11h07 da manhã de um domingo dos pais, dia 10 de agosto, nascia Samuel. Até então eu me via como uma mulher grávida, e não como mãe (ainda). Na verdade, eu até tentava me "achar" mãe, mas não tinha a noção exata do peso que este nome carrega. Estranho, eu sei, mas essa é a sensação que eu tinha.

De fato, eu comecei a entender o que é "ser" mãe a partir do momento em que eu ouvi o choro de Samuel. As lágrimas brotavam dos meus olhos e eu só agradecia a Deus por aquele momento... Quando os médicos colocaram Samuel coladinho ao meu rosto, para que eu pudesse "conhecer" o serzinho que durante nove meses alugou minha kitinete, senti aquela pele macia de pêssego e fui ao céu...Daquele dia em diante eu deixei de ser a Camila para ser a mãe de Samuel.

E como a vida mudou de lá para cá...No início veio o medo. O medo de não conseguir, de não dar conta, de falhar e de não ser a mãe esperada. Por várias vezes eu me peguei chorando do nada, sem motivo algum. Algumas vezes era a alegria de ter MEU filho nos braços, cheio de saúde e todo perfeitinho. Em outras, o medo de um futuro incerto. "E se eu perder o emprego? E se um dia ele adoecer? E se um dia ele precisar de algo que eu não possa dar? Como vai ser??"

Mas nada como um dia após o outro. Parece até que eu nasci sendo mãe. Não há curso de gestante, não há livro que ensine mais do que a prática. E a prática nos prova que somos capazes. Só quem é mãe pode confirmar o que estou dizendo. Dar banho naquele neném molinho vira tarefa fácil. Colocar roupa, carregar, trocar fralda... parece até que fizemos isso a vida inteira! Na verdade, é o dom de "SER MÃE".


Se eu parar para pensar quanta coisa vivi (e aprendi) ao lado de Samuel...
o choro das malditas cólicas (em que eu chorava junto),
as noites de sono e cansaço por causa das mamadas,
as milhões de dúvidas que eu levava para a pediatra,
a obra do vizinho, que não deixava Samuel dormir durante o dia,
a vez que eu achei que ele tinha engasgado com o leite e quase morri do coração,
os cocôs "aguados" que espirravam feito spray justamente quando eu tirava a fralda,
a alegria dele na hora de mamar no peito...

Tanta coisa...

Me lembro do meu desespero quando eu precisava sair e deixava ele em casa com o pai ou com a avó. Uma vez eu tinha ido ao shopping comprar um sutiã amamentação quando o marido ligou. No fundo eu só ouvia o choro. E marido dizendo: "venha logo, ele está com fome". Larguei tudo o que tinha na mão e voei para casa. Devo ter passado em todos os sinais vermelhos da cidade!!!

A verdade é que, durante a gravidez, a gente sempre acha que vai ser fácil, que a vida não vai mudar tanto, a não ser pelas fraldas, pelo leite e pela responsabilidade. Mas tanta coisa muda... A gente abdica de tudo só por causa daquela pessoinha. Se antes eu "fazia hora" na rua, hoje eu faço tudo nas pressas, só para voltar logo pra casa. Nada de uma esticada no barzinho depois do serviço... primeiro é preciso ir para casa. Ah... e a gente passa a não ter hora para nada. Aliás, nosso relógio vira o filho. Ida ao shopping? Só depois que Samuel acordar... Hora do almoço?? Só depois da hora do almoço dele!!! E por aí vai...

Nem tudo é um mar de rosas, é verdade. Mas poder acompanhar o crescimento, o desenvolvimento e as descobertas dos nossos filhos paga qualquer sacrifício. A recompensa vem à medida que eles crescem. E hoje posso dizer que sou completa. Sou a mãe de Samuel!

19 de agosto de 2009

...

Sem tempo para postar...
Sem saco para escrever...
Sem idéia na cachola...

Some-se a isso um marido gripado (e homem "doente" já viu né?), trabalho dobrado, inglês no pedaço, Samuel pra lá e pra cá sugando todas as minhas energias e mais um milhão de coisas pra fazer...

Além disso, sono acumulado, cansaço e uma preguiça fora do comum...

Se pelo menos meu bilhete da mega tivesse os números sorteados...

Bom, fico devendo o post sobre a viagem para BH e ainda o primeiro ano de Samuel.

13 de agosto de 2009

Orgulho

Maridão agora é, oficialmente, um profissional da Educação Física. Hoje foi a colação de grau dele. Dá para imaginar a emoção, né?



Nesses 3 anos de faculdade ele surpreendeu. Não só a mim, mas a si próprio. Mostrou esforço, dedicação e muito empenho. Me impressionava a seriedade e a responsabilidade dele em cada prova e trabalho. Mesmo que fosse um "trabalhinho" qualquer, desses que não vale um pontinho sequer. Eu mesmo dizia: "ah, tanto esforço por nenhum ponto??". Mas lá estava ele, empenhado e determinado em sempre fazer o melhor. Em dar o melhor de si!

Eu via nele a figura de um "nerd", aquele tipo de aluno que não faz nada na vida a não ser estudar. Perdi as contas de quantas vezes ele chegou em casa estressado, reclamando da falta de compromisso de outros alunos que, segundo ele, só iam para a sala de aula para brincar (o que é muito comum em faculdade)!

Minha mãe, quando falava com a gente pela internet ou telefone, sempre brincava: "E Marcones, já preparou a merendeira dele para levar para a aula?"....Uma referência aos alunos da pré-escola, que tem tudo organizado, até o lanchinho na merendeira...



Se eu já me orgulhava dele, hoje eu passei a admirá-lo ainda mais!

No final da colação, os professores entregaram um certificado para o aluno que teve o melhor desempenho no curso de educação física. E ele foi o aluno escolhido para receber o "Certificado de Láurea". Mesmo sabendo que ele sempre foi um bom aluno, não poderia imaginar que seria ele o melhor aluno.

Na foto abaixo, recebendo o certificado...



Detalhe do certificado...



Sorriso de orgulho...

9 de agosto de 2009

Presente sim...

No ano passado Samuel foi o presente do dia dos pais. Veio para o mundo num belo domingo dos pais! Presente melhor não poderia existir.

Este ano eu (leia-se Samuel) gostaria de ter dado para o pai os ingressos da Stock Car, prova de automobolismo que aconteceu hoje em Salvador. Em 30 anos da Stock Car, este foi o primeiro ano da prova em um circuito de rua. Imagine a emoção!!! Mas infelizmente os ingressos se esgotaram rapidamente e eu fiquei sem! Aliás, maridão ficou sem. Sem o ingresso, e não sem presente! O presente foi uma blusa linda e um cartão super fofo!

Maridão, que é apaixonado por provas de automobilismo, só não pode ficar triste porque em outubro estaremos em São Paulo para assistir ao Grande Prêmio da Fórmula 1.

Bom, apesar dos pesares...eu fui para a Stock Car, para matar ainda mais o marido (hohoho). Na verdade eu fui trabalhando, mas não deixei de fazer o registro...



Abaixo, eu e o cinegrafista José Raimundo no momento em que os carros começavam a sair para a volta de apresentação...



Apesar de nem ligar muito para este tipo de prova, confesso que fiquei arrepiada ao ouvir o barulho dos motores. A sensação é muito boa!!! Que venha logo a Fórmula 1!!!!!

8 de agosto de 2009

Fase boa...

Não é minha intenção transformar o Caminho Trilhado num "vídeo blog", mas seria egoísmo privá-los de algumas façanhas de Samuel. Portanto, vídeos!!!

O primeiro, uma delícia de ver, foi gravado ontem. Só Deus sabe quanto tempo passei ensinando "Bebeco" a fazer essas coisas...mas finalmente aprendeu! Veja aí...

video

Este outro "acabou de sair do forno", e é uma graça de ver. Será que Samuel vai seguir a carreira do pai?

video

6 de agosto de 2009

Imitando...

Samuel está numa deliciosa fase de imitar o que a gente faz. Uma graça!

Quando ele era menorzinho e só engatinhava, ele tinha uma grande mania de enfiar a mão em tudo quanto é ralo que encontrava pela frente. Então eu dizia que não podia e pisava em cima do ralo para ele não meter a mão. Pois não é que agora, quando ele vê um ralo, ele logo pisa em cima???

Delícia total! Veja aí...
Obs: o vídeo só foi interrompido porque parei para falar com a vizinha.

video

Pra não perder o embalo, mais um videozinho. Neste, Samuel e o amigo Luquinha!

video

4 de agosto de 2009

Só para constar...

... que está tudo bem!

Ando devendo postagens, mas é que tem faltado tempo e sobrado cansaço!

Mas vamos às notícias, que é o que interessa! Estou bem melhor da conjuntivite. Tentei voltar ao trabalho antes, já que a minha licença era de 5 dias, mas o médico não deixou. Disse que era preciso esperar o remédio fazer efeito e a bactéria reduzir. Dei tempo ao tempo e amanhã volto ao trabalho.

Por sorte (e graças a Deus) Samuel não teve mais do que um "pedacico" do olho vermelho. Mas durou um dia apenas. Usei e abusei do soro fisiológico e deu tudo certo.

Mudando de assunto, o aniversário de um ano de Samuel está se aproximando. Dia 10 tá aí, como diria o povo. Não vai ter festa, mas bolinho e docinho para registrar a
data vai ter! Só com os amigos bem íntimos!

E meu "bebeco" tá que tá... uma das grandes diversões dele agora é andar com as almofadas na mão dentro de casa! Espia só...



Não fica quieto um minuto!



Aliás, fica sim. Quando a gente fala "deita Samuel"(na almofada), ele obedece direitinho...parece um cachorrinho adestrado (hohohoho)!

Olha aí com o pai (com quem anda num chamego só!)...



Sentado batendo palminha...



Flagrante do biquinho (agora ele faz esse biquinho o dia inteiro!)...



Flagrante dos dentinhos...



E flagrante de outra (atual) mania dele: olhar para cima, fechar os olhinhos e ficar rindo feito um "paspalho"...hohohoho



Bebeco mais gostoso desse mundo!