O bom da vida é sair por aí...Descobrir o mundo, descobrir as pessoas e as coisas...Sentir, olhar, experimentar... viver o que é bom e saber diferenciar...ampliar os horizontes sem ter medo de ousar!!!!

Por Camila Marinho

29 de julho de 2010

Meu lado felino...

Alguém aí percebeu que o blog tá de cara nova??? É só o começo...ainda quero melhorar muito mais a cara desse "trem". E só não coloco estampa de onça para não ficar "over" demais!

Tem muita gente que torce o nariz para estampa de onça. Mas posso falar? Eu a-do-ro!!! Só em acessórios, é bem verdade. Nada de blusa, saia, casaco ou vestido. Meu negócio é lencinho, cintinho, bolsa e sapato. E mesmo assim vestida de preto.

A sapatilha preferida
Minha sapatilha de onça eu não largo por nada nesse mundo. Deve ter uns 3 anos. Tá velhinha, mas ninguém percebe. AMO, AMO, AMO. Essa daí comprei em BH. E, além do preto, uso com jeans ou uma peça (no caso blusa) mais clean, que combine com a estampa. Mas é no pretinho básico que fica bonito!

Há pouco tempo cheguei a pensar em comprar outra. Fui em várias lojas. Mas acabei optando por outro sapato de onça. De salto alto, só arrisco a usar com pretinho mesmo. E fica show! Arraso total! "Tô de love" com meu scarpin.

O mais novo acessório




E se você também tem seu lado felino, mas não sabe como aproveitar a estampa, veja as dicas de Glória Kalil aqui. E bem aqui ela mostra a estampa no pé!

26 de julho de 2010

Cinco anos....

Só para lembrar que no dia 17 de julho completei cinco anos na Bahia.
E 25 de julho completei cinco anos na TV Bahia.

Nesses cinco anos.....
cresci...
amadureci...
conheci muita gente nova...
fiz grandes (e eternos) amigos...
aprendi a gostar e, em alguns momentos, odiar Salvador...
ganhei respeito profissional...
vivi momentos importantes...
vivi momentos felizes...
vivi momentos de incertezas...
viajei muito...
tive grandes conquistas...
e ganhei um filho maravilhoso...

É incrível como em cinco anos tanta coisa muda na vida da gente!
E lá trás, há cinco anos, eu não poderia imaginar que minha vida seria essa de hoje. Por mais que eu quisesse, por mais que eu me esforçasse...
Assim como é difícil imaginar minha vida daqui a cinco anos.
Terei outro filho?
Estarei em Salvador?
Em outro apartamento?
Em outro emprego?
E Samuel, como estará aos 7 anos?

Talvez seja hora de fazer uma listinha de desejos, de vontades, de realizações...
De sonhos e de expectativas....
Pra daqui a cinco anos abrir e me surpreender...
Rir da vida e ver como sou feliz.
Estar realmente mais feliz!
Afinal, a felicidade depende da gente. Do que, a cada dia, a gente faz para ser feliz!

Já dizia Vinícius de Moraes...

"É melhor ser alegre que ser triste. Alegria é a melhor coisa que existe. É
assim como a luz no coração..."


(foto Fábio Marconi)

22 de julho de 2010

Um rosto desconhecido...

Não é raro no jornalismo diário nos depararmos com pautas que nos levam a rostos desconhecidos e, assim sendo, que nos obrigam a revelar as identidades (e os rostos, claro!).

Pra explicar melhor, vou citar minha pauta da última quarta-feira.
O dono de uma construtora e o mestre de obras de um prédio de 7 andares que desabou poucos dias antes de ser entregue aos moradores, em Salvador, iriam prestar depoimento numa determinada delegacia da cidade.

Obviamente que ninguém da imprensa conhecia os dois. Em primeiro lugar, ouvimos o delegado, que nos esclareceu sobre os depoimentos. E então ficamos à espera dos homens na porta da delegacia. Sem saber quem eram... A cada carro que chegava, ou pessoa que entrava, tratávamos de perguntar se eram os depoentes.

O depoimento estava marcado para às duas e meia da tarde. Às quatro eles ainda não tinham chegado. Fui até o delegado e perguntei se eles realmente iriam vir ou não. Com uma resposta positiva, voltei para a porta da delegacia.

Foi então que um carro foi e voltou. E de outro carro desceu um homem de terno e gravata.

- Deve ser o advogado - comentou um dos repórteres.

Engravatado, o homem foi até o carro "suspeito". E voltou em direção à porta da delegacia acompanhado por um homem.

- Será que é o Sílvio*? - perguntou um
* nome do dono da construtora
- Deve ser - respondeu outro

E nisso o batalhão de repórteres, fotógrafos e cinegrafistas, se colocou em posição estratégica. Todos prontos para o ataque, eu diria. Como eu estava um pouco mais à frente, perguntei:
- Sílvio?

Ele fez um sinal positivo, como se realmente fosse o Sílvio.
Nessa hora, todo mundo avançou. E logo começou uma correria. Não do suposto Sílvio, mas da gente, da imprensa. Afinal, o homem apressou os passos e começou a se esquivar da gente.

- A obra realmente não tinha álvara?
- O sr trouxe documentos?
- Foi notificado pela Sucom (órgão público)
- Sabia que existia risco de desabamento?

...foi uma avalanche de perguntas! E, na correria, tinha cinegrafista trombando em poste, tumulto para entrar na delegacia, porta de vidro quase quebrando, tropeços, fios de microfone se embolando, repórter lutando para conseguir uma única resposta...LOUCURA, LOUCURA (como em toda cobertura do tipo)!!!

Quando o tal Sílvio entrou na sala do delegado, restou perguntar ao advogado:
- Na condição de advogado, o que o sr tem a dizer??? O Sílvio sabia dos riscos? Tinha alvará???
- Esse não é o Sílvio - respondeu o advogado.
- Como não é ele? Quem é então??? - retruquei
- Um amigo meu - fechou a porta e encerrou a conversa.

Claro que imaginamos ser mentira do advogado. Provavelmente ele queria nos enganar. Para tirar a dúvida, liguei para a sala do delegado.
- Dr. Adailton, quem é esse homem que entrou aí? É o Sílvio? - perguntei.
- Não.
- É o Everaldo (mestre de obras)?
- Não!
- Quem é então?
- Curinga - disse o delegado.
- Curinga? O que é um curinga?
- Alguém que você não sabe quem é...
- Sim, mas é alguma testemunha do caso?
- Não!
- Então isso significa que a gente pagou mico? Toda a imprensa?
- Sim!

Ok, pagamos o maior mico. E depois ainda ficamos sabendo que o Sílvio e o Everaldo passaram por todos nós nesse tumulto todo. Despercebidos. E muito tranquilos.

10 a 0 para eles!

20 de julho de 2010

Quando a imaginação vai longe...

Queria falar sobre mil coisas. Mas na correria que tenho andado, está difícil.

Então, hoje vou só de vídeo do meu anjo e sua fértil imaginação. Graças aos livros...
video

14 de julho de 2010

Coisinhas de moda, de filhos e de cozinha...

Para quem adooora uma promoção, muitas lojas e shoppings estão com mega liquidações. No Brasil todo!!!

Só para citar algumas, na Arezzo tem sapato sendo vendido pela metade do preço. A Zara está TODA em liquidação (e lá você sabe né??? Quanto antes, melhor!) Comprei calça social sequinha, tipo skinny, por R$59,90!!! Isso foi aqui em Salvador. Mas minha irmã, lá em BH, me disse que lá também está em promoção e a calça nesse mesmo preço!! Ou seja, promoção geral, nacional!!!

Aqui em Salvador, o Shopping Barra começa a liquidar nesta sexta-feira, dia 16 de julho. Quem é que não gosta de promoção???

Eu, particularmente, gosto de aproveitar para comprar peças clássicas, que valem para qualquer estação!!! Essa é a melhor maneira de aproveitar as liquidações!!!

No mais, estou apaixonada pela linha Pink da Granado. Comprei em Belo Horizonte um talco antisséptico para pés e axilas que é delicioso. Foi algo em torno de 18 reais. Mas valeu a pena!!! É muito bom!!! Lá em BH vi no Supermercado Verde Mar. Aqui em Salvador só encontrei na Flora - Farmacia de Manipulação, do Shopping Barra!!! E agora estou namorando uma manteiga emoliente!!! Quer conhecer a linha Pink toda e até comprar direto da loja, pela internet??? Clique aqui.



Como estamos no inverno, a dica é fazer um bom chocolate quente. Acabei de fazer um perfeito. Como eu nunca tinha feito em toda minha vida. Cremoso igual ao de Campos do Jordão. Receita de família do chef e jornalista Giácomo Mancini, retirada daqui.

Segue a receita para duas pessoas:

Ingredientes
1/2 litro de leite
2 gemas
4 colheres de sopa de açúcar
6 colheres de sopa de chocolate em pó (Frade)

Para o merengue (ou suspiro):
2 claras
6 colheres de sopa de açúcar

Preparo:
Ferva o leite.
Numa tijela bata as gemas com o açúcar até que a gemada fique bem clarinha.
Junte o chocolate em pó bem devagar (para a cozinha não ficar toda marrom!)
Derrame o leite e mexa devagar até que o leite absorva toda a gemada com o chocolate.
Volte a mistura para a leiteira (ou a panela onde o leite for fervido).
Deixe ferver por uns 5 minutos em fogo médio, até que o chocolate fique bem cremoso.

Enquanto o chocolate ferve, bata as claras até ficar em ponto de neve.
Junte o açúcar e bata mais até ficar bem firme.

Sirva o chocolate em canecas grandes e, por cima, junte colheradas do merengue.
Se estiver muito frio ou se você gosta de um cheirinho de conhaque, junte uma colher de sopa em cada caneca. Mas só se você tiver um conhaque muito bom em casa.

OBSERVAÇÃO MINHA:
Se for trocar o chocolate do Frade por outro que já tenha açúcar, tenha cuidado para não ficar doce demais!!! O ideal é mesmo o do Frade. E no lugar do suspiro, use Chantilly. Vai ficar muuuuito melhor!!!!
Ah, a dica que ele me deu para deixar ainda mais cremoso é deixar o chocolate quente ferver mais de uma vez. Subiu uma vez, abaixa o fogo. Depois, torne a aumentar o fogo. Subiu de novo, tá pronto!!!

Pra encerrar este post, meu gostoso imitando(ou melhor, tentando imitar) Saci Pererê! Divirtam-se com o vídeo abaixo...
video

12 de julho de 2010

Paraguai ou Argentina??? O resultado das compras...

Na recente viagem para Foz do Iguaçu aproveitei para renovar meu estoque de maquiagem, coisa que adooooro!!! Inclui no roteiro uma ida ao Paraguai e à Argentina.

Se você também pretende ir a esses lugares e está na dúvida de onde e o quê comprar, preste atenção nessas dicas:

* O Duty Free de Puerto Iguazu, na Argentina, é pequeno, portanto não vá pensando que vai encontrar de tudo. A variedade é pequena.
* No Paraguai tem muita coisa de origem duvidosa. Mas algumas lojas e shoppings são super confiáveis.
* O ideal é ir primeiro ao Paraguai e depois ao Duty Free, já que neste último é possível ter uma noção do que tem lá através do site (clique aqui). Agora, se você estiver com tempo, sugiro o seguinte roteiro: ir ao Free Shopping (só para olhar preços e produtos), depois ir ao Paraguai (e comprar o que achar que vale a pena) e, então, voltar novamente ao Duty Free (aí sim comprar o que não encontrou no Paraguai).
* No Duty Free compensa comprar tênis e roupa (tem preços mais em conta, porém uma variedade beeemmmm menor).
* Se o seu interesse são perfumes, a dica é deixar para comprar tudo no Paraguai, nas lojas confiáveis. São bem mais baratos do que na Argentina, em torno de 20 dólares de diferença. Mas atenção!!! Nem todas as lojas do Paraguai tem perfumes abertos para sentir a fragrância. Por isso, já vá sabendo qual é o perfume que você quer. Ou então, experimente tudo no Duty Free e deixe apenas para comprar no Paraguai.
* Com relação a maquiagens, a diferença de preço não é muito grande. A não ser de produtos da Revlon. Esses sim tinham uma diferença em torno de 5 dólares (pode não parecer muito, mas no fim faz toda diferença). No Duty Free não tem MAC, mas tem todas as outras maquiagens. Já no Paraguai algumas lojas até vendem MAC. Porém Dior e Lâncome eu só encontrei em 2 lojas: Dior na Americanas, e Lâncome na Monalisa (mesmo assim com pouquíssima variedade). Clinique também não tem em todas as lojas. E quando tem são poucos produtos. A única marca que realmente compensa comprar no Paraguai é a Revlon. Além de ser vendida em tudo quanto é loja, é bem mais barata do que no Duty Free.
* Como eletrônicos não eram meu foco, não posso dizer com certeza. Mas cheguei a ler em alguns sites que no Paraguai vale muito mais a pena (claro que quando comprados em lojas confiáveis).
* E por falar em lojas confiáveis, tem muitas no Shopping Ciudad del Este (que fica logo após a Ponte da Amizade). Outras são a Macedônia, Americanas e Monalisa. Esta última tem de tudo. Desde maquiagens, tênis e perfumes, até roupas, aparelhos eletrônicos e equipamentos de esporte (tênis, golfe, etc). É loja de primeiro mundo, com 5 ou mais andares.
* Como adoro ver coisinhas de camelô (há sempre uns achados), neles eu comprei um aparelhinho à pilha de tirar bolinhas de roupa (por 5 reais) + 2 meias quentinhas (5 reais as duas) e + uma babucha (na verdade uma falsa crock para Samuel que me custou 7 reais). Me arrependi de não ter comprado uma manta quentinha, vendida por 20 reais pelos camelôs.
* Outra coisa importante: só pergunte o preço de algum produto a uma "camelô andante"(aquele que não tem barraca, e sim sacolas) se realmente estiver muito afim de comprar. É que eles ficam na cola! São tão chatos e insistentes a ponto de lhe seguir (para ver se você vai comprar em outro camelô) e então tentar vender o produto ainda mais barato. E olhe que eu gosto de pechincha. Mas eles são realmente muito, muito chatos.
* Quanto a comprar em dólares ou reais no Paraguai, o melhor é usar o real mesmo. Os paraguaios usam a cotação do dia, o que é bem mais honesto. E muitas lojas ainda dão descontos (algumas de até 15%) se você comprar à vista, no cash.
* Cartão de crédito só use em caso de EXTREMA NECESSIDADE. Há sempre uma taxa que eles acrescentam ao valor da compra. Não vale a pena! Mesmo!!!
* Óculos também compensa comprar no Paraguai. A diferença e a variedade são gritantes. Comprei um para o maridão no Duty Free e depois vi que custava cerca de 20 dólares a menos no Paraguai. :(

As maquiagens que eu trouxe estão na foto abaixo.
1 - Pó fácial da Clinique. Esse é mais do que perfeito! Lançamento, ele é a base de minerais e ainda vem com um pincel retrátil. Custou só 18 dólares na Monalisa. Ou 30 reais.
OBS: O pó que eu atualmente uso também é da Clinique, porém é o da embalagem verdinha e não é à base de minerais. E Clinique, caras amigas, é tudo de bom. Além de anti-alérgico.
2 - Rímel da Clinique que alonga e dá um ultra-efeito nos cílios. Custou 14 dólares no Duty Free.
3 - Delineador da Clinique (já percebeu minha quedinha por Clinique né?). Até então eu não usava delineador (fazia o traço com o lápis mesmo). Mas depois que provei esse, amei! Basta um pouquinho de treino para fazer o traço certo. Também custou 14 dólares no Duty Free.
4 - Rímel Diorshow. O nome já diz tudo né??? Show, show!!! PODEROSO, ainda mais para quem não nasceu com cílios de boneca, como eu. Paguei 24 dólares na Americanas, do Paraguai. Em reais saiu R$45,80!
5 - Batom Lâncome. Esse é MARA (vilhoso). Fica um tom rosa, meio cor de boca saudável. Perfeito! Além do mais, tem hidratação e fator de proteção. O nome é L'absolu Rouge, número 6. Custou 24 dólares no Duty Free.
6 - Lápis de olho da Revlon. Custou 9 dólares no Duty Free. O bom é que tem longa duração e não desmancha depois de muito tempo de uso. Ou seja, você não vai ficar com cara de "puta amanhecida".
7 - Este blush é o que eu, carinhosamente, apelidei há 5 anos de "Bronzieitor Tabajara", já que dá uma aparência de "fui à praia e peguei um solzinho saudável". É o Bronze Star, da Lancôme. Simplesmente perfeito e o meu favorito. Além de maravilhoso, é super prático para passar. Eu já tinha usado ele há alguns anos. Quando acabou, comprei um similar, do Boticário, que custa em torno de 50 reais. Mas top mesmo é esse, da Lancôme. São 38 dólares bem gastos no Duty Free.
8 - Essas sombras da Revlon são muito boas! E foram um achado!!! Eu já tinha um estojo de cores que comprei no Free Shopping do Uruguai, no início do ano. Na época custou 12 dólares. No Duty Free, da Argentina, estava 10 dólares. Mas na loja Macedônia, do Paraguai, encontrei a 4,70 dólares cada estojo. Em reais, paguei R$ 26,80 pelos 3 estojos. Me diz onde é que eu compro por esse preço???? Aqui no Brasil cada um sai em média 50 reais.

8 de julho de 2010

Ainda mãe bruxa?

Madrugada passada Samuel acordou com um grito forte:

- Dicupa mamãeeee...

Era um pesadelo, tadinho. Provavelmente ele estava fazendo algo errado e pediu desculpas desesperadamente. Tomei um susto na hora. E depois bateu um arrependimento: será que estou sendo muito dura com ele??? Será que sou a mãe bruxa???

Ok, eu sou dura. Mas qual criança não precisa de alguém que lhe chame a atenção vez ou outra??? Tirando isso, devo ser uma boa mãe.

Mas não vamos falar de coisas duras neste post.
Vamos falar de flores, de amor, de livros...
Sim, de livros...
Samuel AMA livros. E já conta histórias (inclui até o vovô no meio da contação).Veja no vídeo...
video

Abaixo, neste outro vídeo , ele mostra que conhece bem a turma da Mônica. Esse meu filho... só me enche de orgulho!
video

Mudando de livros para boa mesa, outro dia fiz uma massa espetacular. Literalmente!
Eu trouxe de BH, da última vez que estive lá. Uma massa leve e caseira de espinafre (e por isso de um verde lindo), fabricada pela família Savassi e vendida no Super Nosso.

Para constrastar com o verde, usei tomate fresco e pelado. E acrescentei parmesão ralado grosso, alho frito e bacon frito e sequinho por cima. Um toque de manjericão. E um bom vinho para acompanhar. Tim-tim!

6 de julho de 2010

Cadê as princesas dos contos de fada?

Eu passei 29 anos e 7 meses da minha vida acreditando que as princesas eram lindas. Mas descobri que fui enganada. Acho que minha mãe mentiu pra mim...

Hoje, enquanto fazia as unhas e folheava Caras no salão, me deparei com a "princesa" Elena, da Espanha.

Gente, tomei um choque!

Olha aí...

Será que erraram a legenda ou essa mulher é mesmo uma princesa???
Na dúvida, fui à Wikipédia. E lá estava...
"A Infanta Dona Elena María Isabel Dominica de Silos de Borbón y Grecia (Madrid, 20 de Dezembro de 1963) é a primogénita do Rei Juan Carlos de Espanha e de Sofia da Grécia. D. Elena de Bourbon é a quarta na linha de sucessão ao trono espanhol, depois de seu irmão Felipe, Príncipe das Astúrias, e de suas sobrinhas, Leonor e Sofia de Bourbon e Ortiz, respectivamente."
Ainda achei uma foto de close...

Meu mundo caiu! Depois de Elena os contos de fada nunca mais serão os mesmos!

4 de julho de 2010

O esperado beijo...

...não aconteceu.

É isso mesmo. Aquele esperado beijo, que prometi a Chang (e contei aqui), não rolou!!! Meu poderoso chinês não conseguiu recuperar minhas fotos! Não há mais nada a fazer, senão lamentar. Ele mesmo me deu a notícia meio desolado. E até um pouco encabulado. Afinal, a fama dele é a de quem resolve tudo (e mais um pouco).

- Tentei muito. Eu e meu filho...Mas não conseguimos! Fica para a próxima! - disse Chang no seu português carregado de um sotaque chinês.

No fundo, no fundo, acho que Deus teve dó do maridão e da esposa de Chang. Seria mais uma traição neste mundo de traições... Não era mesmo para o beijo acontecer.

Também confesso que um sentimento pessimista tomou conta de mim desde o início. O frio na espinha sempre permaneceu, desde o momento em que percebi que as fotos haviam sumido da minha câmera. E quando a gente pensa de maneira negativa...é sinal de que realmente não tem jeito. Pelo menos comigo é assim.

Só não estou completamente arrasada porque tem umas poucas fotos na câmera de um casal de amigos. E é através delas que me resta recordar de Foz do Iguaçu.

E para este post não ficar melancólico demais, seguem algumas fotos de momentos de alegria.

Abaixo, Samuel e seu mais novo melhor amigo: Bob Esponja.
Depois que Bob Esponja comeu "pão com quejin", foi dar um passeio na garupa da moto (velotrol).

Outro dia Samuel levou Branca de Neve e os Sete Anões para andar de caminhão.

Já comentei aqui que ele deixou de ser Bebeco? Não, né? Pois é... o rapazinho já faz xixi no vaso...

Só o número 2 é que ainda tá emperrado. Ele até senta no vaso... mas não sai nada!

No mais, foto da família Marinho. Essa foi tirada quando estive em BH, no início de junho. Uma homenagem à minha vó querida, que depois de 20 dias internada já está em casa e bem melhor! Deus é bom demais!

E pra encerrar, minha mãe com Samuel e o gostoso do meu sobrinho Matheus!

1 de julho de 2010

Desespero...

Sei que estão todos ansiosos para saber se beijei Chang ou não. Mas meu chinês querido ainda continua trabalhando no cartão de memória. Acredito que com afinco, senão já teria me dado uma resposta. Continuo desesperada, claro. Mas esperançosa.

E por falar em desespero, fiquei pensando na situação das pessoas que moram em áreas atingidas pela forte chuva em Alagoas e Pernambuco. Essa noite eu fiquei 11 horas e meia (de 18hs às 05h30 da manhã) sem energia. E fiquei desesperada, imaginando as coisas que poderiam perder na geladeira, imaginando como seria se a luz demorasse ainda mais para chegar....Dormi muito mal. Certa hora eu levantava para ver se a luz tinha voltado. Aí lembrava do que ainda estava ligado na tomada. E tornava a levantar para desligar, como medo que queimasse, já que toda hora eu ouvia um estouro no transformador da rua...E foi assim até às cinco e meia da manhã.

Desespero que não é nada perto do que vivem as pessoas desses 2 estados. Me lembrei do período que morei em Alagoas. Fui trabalhar na TV Gazeta, afiliada da Globo. Cheguei em janeiro de 2004, num período de muita, muita chuva, quando teve a cheia do Rio São Francisco. E a primeira matéria que fiz foi sobre isso. A cheia do Rio. Logo no primeiro dia de trabalho viajei para a divisa com Sergipe, uma cidadezinha chamada Porto Real do Colégio. Lá sim encontrei muito desespero. Água até o telhado das casas. Gente chorando, gente desesperada, que tinha perdido uma vida inteira. Então corri para ver as fotos que tirei...

Abaixo, o cinegrafista Falcon Barros filmando uma das áreas alagadas...


Mais algumas fotos...


Para mostrar essas áreas inundadas pelo rio, tivemos a ajuda de um pescador, que nos levou num barquinho mínimo. Dava medo até de virar!


Depois disso, em outras situações, cobri mais algumas vezes transtornos causados pela chuva em cidades de Alagoas. Uma delas foi Feliz Deserto, também em Alagoas. Essa cidade ficou debaixo d'água, literalmente! As pessoas estavam sendo retiradas de casa com a ajuda de um trator. Então, eu o cinegrafista subimos no trator para mostrar o resgate daquelas famílias. Porém, quando chegou num certo ponto da cidade o trator parou. Era alguma pane no motor! E a gente lá em cima! Como não havia mais nenhum outro trator, ou forma de resgate, nossa única saída foi descer e enfrentar a água. Era uma água forte e suja (imagine a água de toda a cidade, rio, esgoto e chuva!!!). O medo era pisar em algum bueiro ou buraco...Andávamos como uma corrente: um segurando a mão do outro. Teve um ponto que a água chegou na altura do meu peito. Eu só pensava em todo tipo de doença que poderia pegar naquela água imunda!!!

Foi um dia difícil! Enfrentei frio e medo!!! Imagine então quem perdeu tudo, o que mais enfrentou???

É nessa hora que a gente percebe que nossos problemas não são nada diante do problema dessas pessoas!