O bom da vida é sair por aí...Descobrir o mundo, descobrir as pessoas e as coisas...Sentir, olhar, experimentar... viver o que é bom e saber diferenciar...ampliar os horizontes sem ter medo de ousar!!!!

Por Camila Marinho

18 de agosto de 2010

Não diga "desta água não beberei"

Taí um ditado antigo, mas que não perde força nunca!

Eu sempre achei o fim da picada criança birrenta. Do tipo que se joga no chão, faz "chilique", dá escândalo e pirraça até tirar alguém do sério. Quando via uma cena dessas, eu soltava logo:
- "Detesto criança birrenta. Meu filho não vai fazer isso nunca!"

No fundo, no fundo, sempre achei que os pais eram culpados por não impor limites e ainda dar muito dengo. E tudo o que eu sempre abominei, agora se volta contra mim. Mesmo sendo "mãe bruxa", colocando de castigo, proibindo as coisas e impondo limites!!!

Nessas horas vejo minha mãe na minha frente dizendo:
- "Tá vendo Cá? Pagou língua!"

Pior é que paguei mesmo! Alguém me explica que fase é essa, que até no castigo seu filho te desobedece e quer te desafiar? Eu, que era contra a palmadinha (e já até falei sobre meu drama aqui), agora recorro a ela de vez em quando. Com a consciência pesada, é verdade, mas recorro! No entanto, palmadinha na bunda, de leve, só para assustar e mostrar que quem manda sou eu.

A verdade é que educar não é tarefa fácil! Não dá para ceder às vontades dos pequenos...

Capítulo à parte é a vergonha que a gente passa. Outro dia, no supermercado, Samuel estava no colo e esperneou porque eu não fiz a vontade dele. Ele me mordeu, gritou e se contorceu tanto que eu quase não fui capaz de segurá-lo. Ainda aprontou um choro escandaloso que atraiu todos os olhares. Eu não sabia onde me enfiar. Mas não cedi. Fingi que nada estava acontecendo e me fiz de cega, surda e muda (com ele no colo gritando). A minha vontade era dar umas boas palmadas e enfiar um saco na minha cabeça, de tanta vergonha. Assim que saímos de lá conversei com ele numa boa. Expliquei que era feio, errado, blá, blá....

É claro que entrou num ouvido e saiu pelo outro. A cena voltou a se repetir em outro grande supermercado daqui. Ai que vontade de me esconder! Só quem é mãe (e já passou por isso) pode me entender.. Fase "abençoada" (pra não dizer outra palavra) viu???

Em casa as birras se repetem.
- "Samuel, vamos comer?"
- Nãoooooooo (chorando)
- Vamos filho?
- Nãooooooooooooo (chorando e batendo o pé)
- Ô filho, tá gostoso!
- Nãooooooooooooooooooo (chorando, batendo o pé e agora se jogando no chão)
- Tá bom, filho! Fica com fome.
- Qué, eu qué (traduzindo: quero, eu quero)
- Então vem...vem que mamãe dá!
- Qué não...qué não....Nãooooooo (continua o choro e o show)
- ??????????

E assim, com muita birra, esse diálogo se repete umas 2, 3 vezes.Até eu cansar e dizer "chega, vai ficar com fome mesmo!". Deixo ele de lado, faço de conta que nem estou prestando atenção, e me faço de cega, surda e muda. E então, ele, no tempo dele, se arrepende e vem comer!

E sabe porque eu digo que é birra, e não falta de apetite? Porque ele não tem NENHUM problema para comer. Pelo contrário, é um monstrinho come-come, que traça o que vier! Como diria uma amiga, essa fase das birras deve ser uma fase bipolar dos pequenos.

Além de saber fazer birra como ninguém, ele também sabe fazer manha. E tenta ganhar a gente com toda a sua esperteza. Basta eu colocá-lo de castigo para ele me chamar, abrir o braços e pedir:
- Abaço (abraço), beso (beijo) (COM UM OLHAR DE CACHORRINHO ABANDONADO).
Depois, ainda solta um "dicupa mamãe" com a maior cara lavada do mundo. Aceito os beijos, abraços e a desculpa. Mas ele continua de castigo para aprender a obedecer e a ter limites.

Alguém, por favor, me diga que esta fase é normal e, principalmente, passageira?

Pra encerrar bem, vídeo do meu "marrentinho" e sua moto...
video

12 comentários:

Juliana disse...

Oi Camila!!!
Amiga, vai passar.rs
Digo isso porque a Clara teve uns meses exatamente igual ao Samuca e agora está mais calma e obediente.

O fato é que eles nos testam pra ver até ondesomos firmes e pacientes.
O imprescindível é que voce nao ceda as vontades dele e continue mostrando que quem manda é voce e nao ele e que tem hora pra tudo.
Voce tá certissima e eu agi da mesma forma; palmadinhas qunado foi preciso e muito pulso firme.
Clara deu um chillique ridículo no shopping, tem até l;a no blog o dia do cinema. Mas eu fui muito firme e tirei paciencia de onde nao sei e ela desistiu e se rendeu.
É dureza..
Mas passa!
Continue assim!!
Beijocas!
Ju e CLara

Suzana disse...

Fica calma que passa.... eles testam pra ver ate onde a gente tem paciencia, eles estao crescendo e acham que ja podem mandar! Vc esta certa em nao ceder, fiz td isso que vc fez, quando fizer birra, finja que nao ve,desinteressada pq o que ele quer é chamar atençao,e depois passa!Tente conversar o maximo pra que ele possa compreender que nao é assim que ele vai conseguir as coisas! E se ele nao quiser comer, deixe ele com fome e de castigo ,pois em casa tem hora pra tudo ,vc vai ver que rapidinho ele vai querer comer! Cada dia vai ser uma surpresa tem essa fase e outras que depende mto tb to carater da criança! Nao se preocupe acho que toda mae ja passou ou passa por isso! Continue sempre firme ,dando limites pro Samuel que depois com certeza ele vai ver que vc sempre teve razao! Vc é uma super mae!!! Agora ele andando de moto e com esse capacete ri demais!!! kkkk fofo!!
Um beijao pra vcs e força e paciencia!!!

Márcia disse...

oi Camila,
parece que todas estamos nesta fase.rs. As birras por aqui tambem são complicadas. a do supermercado ainda não passei...rsrsrs. Mas aqui em casa quando ele não quer dormir, sai de baixo....tenho tantos arranhoes que as pessoas devem pensar ou que tenho um gato muito mal ou então que sou espancada pelo marido. eeehehehehe.
é mesmo uma questão de paciencia e sangue frio. O que nao podemos é fazer da birra um acontecimento em que eles percebam que foram os vencedores...daí sim estamos "fritas"....
beijo

Anônimo disse...

Oi Camila, tudo bem, é a Janaina do hospital Aliança, tudo bem? Menina nem me fala dessa fase complicada viu, fico para morrer com as birras de Danilo na rua, falo sério com ele e finjo depois que não estou vendo, afff. Ontem mesmo estava em casa com ele ai na última tentativa falei, olha Dan vc fica fazendo mal criação o tempo todo, o Velho Feio do Saco vai vim te pegar ai ele me lança essa, "Po mim eu vou fugi, tô fugino", ai eu tive que sair de perto para da risada. Não tem jeito agora não podemos amolecer e sempre explicar o que é certo e o que é errado.
Bjs,
Jana

Mamãe Nathi disse...

Eu digo!
Fase normal e passageira...
Força!

Beijinhos***

Cozinha de Madame disse...

Oi Camila! Já passei muito por isso com o meu filho mais velho... supermercado, shopping, consultórios médicos...

Mas, te digo! fui muito dura em relação a isso. Essa é uma fase impotante na educação, de impor limites, pois precisamos desmontar o pequeno tirano e mostrar a nossa autoridade. A criança precisa aprender desde cedo que nem tudo é como elas gostariam... Caso contrário, negligenciamos a educação dos pequenos fazendo os seus desejos... No futuro, serão adultos arrogantes, achando que o mundo gira ao seu redor. É nosso dever formar cidadãos éticos!

Como já falaram aqui, é difícl... mas, educar é uma tarefa árdua mesmo e só veremos o resultado a longo prazo e pra isso precisamos bater todos os dias, na mesma tecla (como dizia minha mãe). O que a gente percebe é que a falta de conhecimento dificulta as ações dos pais... é sempre bom lermos bons livros, artigos em jornais e revistas... que agreguem valores educativos. E nada de bicho-papão, de chamar o velho (coitado rs) e bruxas, rsrs.

Boa sorte!!

Andréa Almeida

Jeferson Maia disse...

Hahahahaha!!! Garoto com personalidade!!!E que personalidade forte!!!
Olá Camila, Como anda o computador???
Será que arrumou outro técnico de informática???
Estarei a disposição s eprecisar!!
Forte abraço em Vc, Marconi e No grande Samuel!!

Allan Robert P. J. disse...

Camila,

Endosso o que escreveram acima: vai passar e precisa não cair na armadilha. Tá no colo dando espetáculo? Faça de conta que não é seu filho: coloque-o no chão e vá fazer as suas compras ignorando-o completamente. E nada de explicar depois, o que ele quer é atenção e testar os próprios limites.

Lembro que a minha Bia tentou uma cena no meu colo e eu fingi indiferença. Ela me unhou o rosto que por pouco não sangrou. Segurei o vulcão dentro de mim e fingi não ter sentido nada e continuei fazendo o que fazia, apesar da monstruosa vontade de gritar e de jogá-la na parede. Depois de uns dois minutos, ela muda, me olhando, ganhei um beijo onde ela tinha arranhado. Olhei-a e sorri, apesar da vontade de jogá-la na parede não ter passado. Já com a Luiza o problema era comer, até que um dia, depois dela ter uma anemia diagnosticada porque não se alimentava direito, passei a colocá-la no meu colo na hora do almoço, sem brigar, chamar ou ameaçar. Enfim, sem perder a calma, fazia um prato de feijão com arroz, carne e legumes de fazer inveja a peão de obra. Ignorava se ela dizia que não gostava de feijão, ou que estava cheia, ou... simplesmente dizia a ela: "abra a boca" e colocava a comida dentro. No início ela chorava, vomitava ou ameaçava escândalo, mas eu continuei com a minha calma e ela acabou aprendendo a comer. Adeus anemia.

A fase passa, se você souber como agir. E tornar-se agressiva é o modo errado; continue evitando. Mas creio que explicar depois e com calma que é feio e coisa e tal, acaba mostrando que na realidade você estava apenas fingindo ingnorá-lo e ele percebe isso.

Boa sorte! :)

Anônimo disse...

Oi Camila,

Eu concordo plenamente com Allan. Quanta sabedoria!
Com a atitude dele, cosegue impor limites (sem traumas), dialogar com os filhos e tudo isso com muita amorosidade! O mundo precisa de pais como ele!
Sabemos que é muito difícil conter nossa raiva nesses momentos. Mas quem disse que educar é tarefa fácil? Devemos contar até 10, respirar fundo nas horas difíceis.

Sofia também gosta de dar show nesses ambientes que possuem muitos estímulos visuais tipo shopping center, supermercados, etc. Eu evito levá-la, nessa fase.

bjs,
Ilana

Renata disse...

Nem fala...

A Helena sempre foi super tranquila mas agora parece que está com a macaca.

É energia que não acaba e ainda resolve testar todos os limites. Sexta tive que colocar ela de castigo na sala de espera da pediatra mesmo.

Mas no caso dela o castigo é um santo remédio. Onde que que eu esteja arrumo um canto para ela ficar 2 minutos... depois apesar de agitada passa a obedecer de novo.

Beijaum

Gislene disse...

Olá, há quanto tempo, será que ainda se lembra de mim? Voltei a blogar, e por isso passei aqui para lhe convidar a visitar meu novo blog. Te espero. Bjos. http://desconstruindooeu.blogspot.com/.

Elisabeth disse...

Camila, sempre leio o teu blog e nunca comento, sou tua fã, e você é linda na televisão.
acompanho um blog que eu gosto muito e tem umas dicas ótimas contra essas birras.

o post é esse: http://www.joaoastronauta.com/search/label/S%C3%89RIE%20BIRRAS

ah.. o teu marrentinho é lindo.

bjo
elisabeth

lsbthpessoa@gmail.com