O bom da vida é sair por aí...Descobrir o mundo, descobrir as pessoas e as coisas...Sentir, olhar, experimentar... viver o que é bom e saber diferenciar...ampliar os horizontes sem ter medo de ousar!!!!

Por Camila Marinho

30 de setembro de 2010

Da série boas coisas da vida...

Mega trânsito em Salvador.
E eis que no meio de milhares de carros, uma "topeira" tenta entrar na minha frente, sem dar um sinalzinho sequer...

Pronto! Só ouvi o barulho. Estava decidida a sair do carro com a maior cara de "o quê você fez no meu carro?".

Mas só fiz abrir a porta. A "topeira", ou melhor, O "topeira", abaixou o vidro do carro e falou:
- Calma! A culpa é minha! Vou pagar tudo. Só te peço para encostar o carro e sair da via para não atrapalhar o trânsito!

Gente, "choquei"!
Encostamos os carros. Eu o meu, ele o dele.
Ele desceu, se apresentou de uma maneira mega educada, e falou:
- Me desculpe pelo transtorno. A culpa foi mesmo minha. Mas eu vou pagar tudo!!! Vamos ver os estragos....

Confesso que tive que me segurar para não rir. Me senti a milionária da mega-sena. Afinal, uma pessoa educada desse jeito no trânsito... é uma chance em um milhão!

29 de setembro de 2010

Tem que ter peito...

Outro dia a Pri, mãe da Cerejinha, fez um post tão verdadeiro e, acima de tudo, corajoso, que eu pensei: essa mulher tem peito!

E sabe por quê??? Porque ela fez um post que todas as mães blogueiras gostariam de ter feito. Um assunto que todas as mulheres gostariam de comentar: a libido após a maternidade.

Taí um assunto que, mesmo nos dias de hoje, ainda é tabu pra muita gente. E em muitos relacionamentos.

A verdade é que, logo depois do nascimento dos filhos, a mulher deixa um pouco de lado a "porção mulher" para se tornar quase que exclusivamente mãe! Afinal, é um novo mundo. E um novo ser, completamente dependente dela!

É fralda pra trocar, leite pra dar, choro para acalentar e noites longas para embalar...
Sem falar dos medos e anseios que assombram qualquer mãe, principalmente as de primeira viagem.
Nessas horas, é difícil pensar no marido. Tudo é para, e pelos, filhos!

Não tem libido certa!
Ainda mais com os peitos pingando leite pela casa afora...Dá para pensar em sexo assim?
Com um calçolão bege e uma cinta para colocar a barriga no lugar?
Com um sutiã brochante cor de "burro fugido"?
Com um pefurme natural exalando cheiro azedo de leite?
Não, não dá...

Mas essa fase passa. A libido vai voltando aos poucos...
Só que a mulher continua dedicando muito mais ao filho do que ao marido. O problema é que o homem começa a culpar a mulher:  "Você não faz mais isso, mais aquilo... não dá mais atenção pra mim!".
E aí a relação vira uma coisa morna e sem graça... É culpa da mulher???
Não, não é!

Mas é preciso compreender. Compreender e agir!!!
Além de mãe, a mulher é trabalhadora. Dona de casa. Faz supermercado. Lava a louça. Faz comida. Tem responsabilidades demais...

Os homens também tem que fazer a parte deles! Relembrar o romantismo dos tempos de namoro, fazer voltar o frio na barriga na hora de um encontro...e surpreender! Sempre!

Porque um casamento é feito de dois. E não apenas de um!

OBS: Pra ler o post da Pri sobre o assunto, basta clicar aqui.

27 de setembro de 2010

Já era hora....

Porque eu não aguentava ligar a televisão e ver esse rapazinho com esse visual...

Achei que ele só mudaria essa cara de menino "rebelde sujo" no dia em que Jesus voltasse à terra. Pra falar a verdade mesmo, nem assim colocava muita fé... 

Mas não é que paguei língua?


O todo (antes)feio Fiuk ficou até gatinho.... Só precisa ganhar mais um corpinho pra ganhar nota 10!
Fiu-fiu pra ele!

25 de setembro de 2010

Boas de sábado...

Recebi um e-mail hoje que poderia até virar filme... A maldição do Atlético! E tem a ver com Eliza Samúdio! Quer ver também??? Clique aqui.

Mas minha opinião é outra. Quem estava derrubando o Galo já foi... Adeus Luxa!
Agora é com DJ!!!!
Dorival Júnior é nosso!
E os dias de glória vão voltar para o Galo mais lindo do mundo!

Outra boa notícia de hoje foi o Cruzeiro tomar de 4 do Santos. Do jeito que "as meninas" gostam!

 

No mais, Wando está em Salvador neste fim de semana...

É melhor eu esconder as minhas calcinhas....

24 de setembro de 2010

24 de setembro

E pensar que tudo começou há 16 anos, naquela noite de 24 de setembro de 1994....

O vestidinho preto e a meia calça da mesma cor, comprados só para a ocasião, ajudaram a dar um ar mais sensual àquela adolescente de 13 anos que, no fundo, ainda era uma criança.

Era noite de festa. A primeira com as amigas. E a que iria ficar marcada para sempre. O ponto de encontro foi a casa da Adriana. Lá, as amigas Carla, Carolina, as duas Camilas e ainda Adriana, ainda tiveram tempo de sonhar com a festa, que àquela altura, já rolava sob um som alto.
- E aí? Vai ficar com alguém hoje? - perguntou uma delas
- Não sei. Se rolar...
Mas eram apenas fantasias de adolescente. Afinal, a maioria delas nunca tinha beijado antes.

Animadas, foram para a festa...E logo quando chegaram, viram uma turma de meninos, todos muito gatinhos, dançando passos ensaiados, modismo da época. A música que mais tocava era a dançante Sweet Dreams (La Bouche). Com uma letra que parecia ter sido feita para aquela noite... Afinal, doces sonhos estavam por vir...

Como aqueles meninos dançavam cheios de graça...De longe, as amigas tentavam imitar. E, aos poucos, a distância foi diminuindo. Até que surgiu um entrosamento. Desta vez, o fundo musical era Me Leva, de Latino. E foi nessa música que um dos meninos, aparentando ter uns 16 anos, se apresentou a uma das amigas.
- Prazer, meu nome é Silvério.
- E o meu é Camila.

Conversaram alguns minutos e o tal Silvério perguntou:
- Quer ficar comigo?
- Ah...(TÍMIDA)...Quero...
- Então vamos ali...

De mãos dadas, saíram para a rua. Naquele tempo era assim. Foram para trás de um muro, onde ninguém pudesse ver... Então se beijaram. Ela mal se concentrava no beijo. Feliz, só conseguia pensar: "beijei, beijei, beijei. Não sou mais BV (boca virgem)."

E ali, atrás do muro, passaram a noite aos beijos. Quando olhou no relógio, viu que estava perto de uma da manhã. Era o horário combinado com o pai, que viria buscá-la. O menino, então, pediu o telefone. Ela deu. Errado, mas de propósito. Era medo que a mãe descobrisse, caso ele ligasse. E então, ela foi embora. Feliz, muito feliz da vida, porque tinha dado o primeiro beijo.

Naquela noite, a amiga Carla, que tinha ido dormir na casa dela, percebeu algo estranho.
- Camila, sua boca tá roxa!
- Roxa??? Como assim? - e correu para o espelho, onde confirmou que realmente estava.

O "santo"batom da embalagem verde
Que primeiro beijo!!! Já deixando marcas...E que, por isso, precisou ser escondido com um vagabundo batom de fixação 24 horas, cuja embalagem era verde, também sensação dos anos 90!

No dia seguinte, ela passou o tempo todo se esquivando da família, para que ninguém percebesse a boca roxa. Mas pelo menos se sentia mulher, e não mais uma menininha. Escreveu tudo no diário, para que nunca mais se esquecesse.

Só que não precisava... A data já tinha se tornado tão especial que todos os anos certamente seria lembrada.

A propósito, tanta coisa aconteceu depois daquilo! Ela se apaixonou pelo Silvério. E se arrependeu de não ter dado o telefone certo. Passou anos sonhando com ele. Imaginando como teria sido se tivesse dado o telefone certo. A foto dele, que conseguiu através de uma amiga, foi parar no porta-retrato. Virou uma paixão platônica. Até que 3 anos depois (e já com 16 anos), ela o reconheceu num show. O coração bateu forte e ela não pensou duas vezes em falar com ele.
- Oi, seu nome é Silvério, não é?
- É sim...
- Tudo bem? Sou Camila. A gente se conheceu numa festa em 94, no bairro onde você mora.
- Ah... lembro, claro!

Talvez ela não tivesse acreditado que ele realmente se lembrava dela. Mas, ainda assim, o papo continuou...e veio o beijo...

A adolescente, que já não era mais menina, mal podia acreditar. Tremeu... Ficou nervosa...
E confessou tudo:
- Eu tô nervosa! Tô tremendo...
- O que você está sentindo? Quer sentar?
- Vou ficar bem. É que....(TÍMIDA)...posso te falar uma coisa??? Você foi o primeiro menino que eu fiquei...

Sim, ela precisa confessar tudo aquilo. Porque era o que, há anos, ela vinha sonhando. Naquele dia, e alguns outros dias depois, a adolescente sonhadora viveu alguns momentos de eterna alegria... mas, por incrível que pareça, o encanto passou. Depois daquele segundo beijo - tantos anos depois -, e daquela confissão, ela nunca mais pensou nele. A foto no porta-retrato já não fazia mais sentido. Havia outros garotos... e tanta coisa por viver....

Os dois foram felizes pra sempre. Cada um com seu destino.

23 de setembro de 2010

Estrela mesmo???

Ela é do tipo que marca entrevista às 16hs e aparece às 17h15. Isso quando ela chega "cedo"... Porque, às vezes, ela demora muito mais...

Além de tudo, é antipática. Só cumprimenta quando quer... às vezes nem um boa tarde é capaz de dar.

Pior é quando, depois de tanto atraso, dá ataques de "estrelismo", como se o mundo tivesse que girar ao redor dela. Começa a gravação sem ao menos saber toda a letra da música. Erra, para, erra, para.... E ainda acha que a imprensa tem que esperar que ela decore, esteja bem, e cante tudo certinho!

Na moral, não faço a menor questão de ser simpática com gente assim. De fazer uma entrevista legal...

E essa minha impressão deixou de ser impressão quando, depois de mais de uma entrevista, percebi que ela é SEMPRE assim. Que ainda trata mal até as pessoas com as quais ela trabalha.

O mais engraçado é a incrível capacidade de se "transformar" quando as luzes da câmera se acendem. De uma cara fechada e sisuda, ela abre um sorriso que vai de um canto a outro do rosto. E fico pensando: "coitado de quem é fã... não conhece essa mulher!"

De quem estou falando??? De uma artista baiana. Só não cito o nome para não ser antiética. Mas que dá vontade de falar, ah... isso dá! Pra desmascarar quem pensa que ser estrela é agir assim!

******

Mudando de assunto, hoje fui cobrir o Barra Fashion Mall, aqui em Salvador. Adorei o novo formato, com desfiles na praça central do shopping. Isso sim é democratizar a moda! Tem "pitaco" meu no blog do shopping, na "Enquete BFM". Pra ver, é só clicar aqui.

Da "Nina", uma das marcas a apresentar a coleção primavera-verão, ganhei um brinde "fofésimo". Olha aí embaixo... bolsinha jeans super estilosa!

Da Avon ganhei um kit bacanérrimo! Três esmaltes, perfume, loção hidratante, batom e rímel...



Detalhe para o novo rímel Super Extend. O pincel é super fino e faz com que tenha uma certa facilidade para levantar os cílios. Estou louca para testar....

Achei no YouTube um vídeo da Avon sobre o rímel...

22 de setembro de 2010

Quem manda aqui...

O garotinho mal-educado Neymar mostrou que no Santos quem manda é ele... Depois de toda a polêmica no jogo contra o Atlético-GO, em que o "menino da vila" xingou o técnico Dorival Júnior e o capitão Edu Dracena, ele chegou a ser punido pela diretoria com uma multa. E também ficou de fora do jogo contra o Guarani.

Para o (agora ex) técnico Dorival Júnior, isso só não seria suficiente. Por isso, decidiu não convocar a "estrelinha" do time para o jogo contra o Corínthians! Situação que desagradou a diretoria do Santos e levou à queda Dorival Júnior.

Agora são quase onze da noite, e enquanto escrevo estou de olho nos jogos da rodada de hoje do Brasileirão... por enquanto o Santos vai empatando contra o Corínthians na Vila Belmiro. Um dos gols, adivinhem de quem??? Neymar...

Pois é.... o garotinho é mal-educado, indisciplinado e folgado.... mas faz gol!

Pior é o Atlético, meu Galo mais lindo do mundo, que insiste em manter Luxemburgo como técnico enquanto o time afunda e corre o risco de, mais uma vez, cair para a segundona....

Quando Luxa chegou para comandar o Galo eu vibrei... mas agora confesso que já não suporto mais!
E acho que a maioria da torcida também não. No blog do Juca Kfouri encontrei o seguinte:

Carta ao presidente Alexandre Kalil
Por ANA CRISTINA GONTIJO


Prezado senhor Alexandre Kalil,
Há quase um mês, enviei-lhe uma carta. Procurei escrever de forma respeitosa como achei que deveria, sincera como não saberia deixar de ser. Isso foi no final da décima quinta rodada do Campeonato Brasileiro de 2010.
Hoje volto a lhe escrever. Sete rodadas depois de ter escrito pela primeira vez, tenho agora a pele alvinegra ainda mais esfolada. Ouço bem mais chacotas por onde quer que ouse passar vestindo minha camisa. E, por mais que eu evite, por mais que eu queira manter a calma, começo a me perguntar se você, Alexandre Kalil, tem qualquer respeito por mim.
Ah, você nem sabe quem eu sou? Eu lhe digo: sou torcedora do Clube Atlético Mineiro. Meu clube não se chama Vanderlei Luxemburgo. Respeito a história dele, mas não é por ele que torço, não é em nome dele que chego em casa mais cedo, cansada, e vejo cada partida com o coração na goela. Não é por ele que eu ia ao Mineirão e agora vou a Sete Lagoas.
Veja você, o que me intriga mesmo é saber que 31,8% de aproveitamento em 22 rodadas não são vergonha suficiente para ameaçar o emprego de uma comissão técnica.
Em qualquer clube, 13 derrotas em 22 partidas seriam suficientes para derrubar pelo menos 2 técnicos.
Mas o que estamos assistindo (e tomara que seja mesmo uma ilusão de ótica bem sem-vergonha) é um técnico mandando e desmandando no clube, mesmo demonstrando não saber ao menos para onde seu nariz aponta.
O Galo por quem torço e sofro parece um navio ao sabor das marés, enquanto seu capitão se diverte em um cassino improvisado no convés.
Eu me segurei ao máximo, eu tentei me convencer do contrário, mas agora não dá mais: Vanderlei Luxemburgo está perdidinho da Silva e continua dando tiros para todos os lados. Escala mal, substitui mal e ainda acha que está sendo perseguido pela torcida e pela imprensa. Ah, tenha dó!
Quando era pequena, escutei estes versinhos que jamais me saíram da mente: “Tropeiro só fala em burro, carreiro só fala em boi. Moça só fala em namoro, velho só fala o que foi”. Luxa ainda é bem jovem, mas então por que só sabe falar do que já fez, do que já foi? Não é de passado que se faz futuro. Não é com discursinho barato nem com desculpas esfarrapadas que se sanam problemas.
Sinceramente, senhor Alexandre Kalil, eu acho que você deve fidelidade ao Clube Atlético Mineiro. Se tiver que escolher entre o Galo e aqueles que fazem mal ao Galo, não titubeie. E não me refiro apenas ao técnico Vanderlei Luxemburgo.
O grande volume de lesões e o mau preparo físico de vários jogadores, mesmo depois de tanto tempo treinando, não é coisa normal. Descasque seu abacaxi, desate o nó que tiver que desatar, faça o que tiver que fazer, pague multas, despache para bem longe uma canoa cheinha só de nego imprestável, mas livre o Galo deste pesadelo.
Faça alguma coisa, antes que seu nome vá para o ralo, lá para as páginas vergonhosas de nossa história, antes que você tatue seu nome em nosso livro como o presidente que chegou prometendo grandes conquistas e nos levou para as profundas dos quintos.
Atenciosamente (e bem menos pacientemente),
Ana Cristina Gontijo

Assino embaixo! Luxemburgo não pode mandar mais... Nem cantar de Galo!

21 de setembro de 2010

Ela parece, mas não é...

Quem não conhece, acha que ela é antipática, nojenta e metida. De fato, eu preciso concordar. Parece mesmo. Ainda mais com aquele big olho "azul piscina"!

Se eu não a conhecesse, diria logo:
- "Menininha metida essa! Olha como anda. E como mexe no cabelo. Se acha!"

Mas ela só parece! Quem conhece sabe que não é nada disso. Que, na verdade, é uma boa menina. Honesta, sincera e amiga. Claro, com alguns defeitos. Mimadinha e, muitas vezes, sem juízo nenhum!

Mesmo com todos esses defeitos, como eu amo essa menina!!! Minha irmã Priscila!

Quando éramos mais novas, brigávamos por tudo. Afinal, 4 anos de diferença fazem toda "diferença" quando as idades se intercalam na adolescência. Engraçado foi o dia em que minha amiga Bel, depois de presenciar uma dessas brigas, chegou no meu ouvido e disse:
- Relaxa Cá. Ela tá na puberdade!

Demos muita risada, claro! Êta puberdade que custou a passar....
Me lembro de uma vez em que eu estava de paquera com um menino no play do prédio. E então surgiu Priscila, no auge de seus 11 anos de idade. Com a mão na cintura, parou e disse num tom bravo (como se fosse minha mãe):
- Camila, sobe agora!!! 
Beijos interrompidos e meu espanto....
- Quê  isso Priscila?
- Sobe Camila!!! Vou contar tudo pra mamãe!

Não obedeci às ordens da "pentelhinha". É claro que não subi!!! Mas o paquerinha nunca mais voltou!!!

Hoje, esses 4 anos de diferença não são nada! As brigas cessaram (talvez porque eu não conviva diariamente com ela...hehehe). E sempre quando nos encontramos e ficamos juntas, as risadas são certas. Acho que dou mais risada com ela do que com qualquer outra pessoa. Aquelas risadas gostosas, sabe? Gargalhadas intermináveis!

A sintonia é tanta que só pelo olhar sou capaz de saber o que ela está pensando. Adoro essa cumplicidade! Adoro sair de carro na companhia dela, com o som ligado e cantando bem alto!!! Adoro chegar em Belo Horizonte, desfilar de calcinha ou biquíni na frente dela, e perguntar:
- Veja se estou com muita celulite! - pergunto (já esperando ouvir uma piadinha)...
- Não, não tá não. Só tá parecendo a lua, cheia de crateras....

É claro que não sou essa visão do inferno. São apenas piadinhas e exageros, que retribuo no mesmo tom, quando ela também vem desfilar o corpinho na minha frente.
- Camila, vou andar... veja se tô muito f'lácida...
- Imagina. Tá igual a gelatina. Não corre de biquíni não... Senão vai passar vergonha com essa bunda balançando desse jeito!

Com ela, certamente fico mais jovem. Mas é claro que tem coisas que detesto nela. Como a frescura em provar qualquer prato diferente!  A teimosia... o orgulho... e às vezes ela ainda me faz passar vergonha. Como no último sábado, em que fomos juntas comprar calcinha numa loja de departamento aqui de Salvador. Eu já estava na fila do caixa, com as minhas peças na mão. E então, eis que ela surge de longe, com uma outra calcinha na mão....
- Camila, e essa? Gostou???
- Gostei... Mas vem cá.... (sussurrando) Precisa mostrar pra loja inteira qual é a calcinha que eu vou comprar???

Minutos depois, mais uma...
- Pega essa Camila.... É igual a minha. Tô até usando essa hoje.
- Sim Priscila. Você já falou isso várias vezes. Todo mundo já sabe a calcinha que você está usando.

Pois é... esse é minha irmã! Sem noção, "desmiolada", ora chata, ora adorável, metidinha, linda e pertubadora do meu juízo!!! Sem as besteiras dela eu não sobreviveria.

Com a "brancura omo"que chegou aqui, eu a apelidei de boneco de neve enfeitado (o biquíni é o enfeite)

Mas o negócio dela é vir para Salvador e sair daqui mega bronzeada. Como ela mesma se define, psico (ela gosta de falar "psaico") de sol!!!


 Psico de carnaval também!!! (*e essa crise de língua pra fora?)
Com ela, tudo é só alegria, alegria, alegria
E curtição! Aqui, na porta do mineirão, curtindo contra os cruzeirenses!
 



20 de setembro de 2010

Cade o juízo de quem deveria ter juízo?

Minha irmã chegou de BH carregando uma sacola enviada por minha mãe.
O destinatário? Samuel!

É óbvio que a sacola passou por uma rigorosa fiscalização antes de ser entregue. E o que tinha lá dentro? Guloseimas, guloseimas, guloseimas! Chocolate, doce de leite, biscoito coberto de chocolate, e por aí vai....

Só "porcaria", pra falar bem a verdade! Até uma carta veio junto, como se ele pudesse ler!

Pra não estragar a alegria dela, entreguei a sacola. Ele achou o máximo e, obviamente, quis tudo! Enrolei o bichinho e dei só "o que podia". Fiquei com o resto pra mim.

Tá me achando mal??? Não viu nada ainda....

18 de setembro de 2010

Quem vive sem saudade???

Desde os meus 23 anos convivo diariamente com a saudade. Me lembro do dia em que deixei BH rumo a uma cidade até então desconhecida para mim: Maceió. De longe, caminhando pela pista do aeroporto em direção ao avião, olhei para trás e vi a família acenando. Os passos seguintes seriam sem eles por perto.

Sozinha, sem conhecer nada, nem ninguém, segui rumo à capital alagoana. Por escolha minha, claro. Sabendo que minha tentativa de acertar, poderia também ser de erros e frustrações. Quase 7 anos se passaram desde que saí de BH. E o que começou como uma tentativa de sucesso decolou. Sobrevivi, cresci e só ganhei. Em todas as minhas escolhas.

Apenas uma coisa, em todos esses anos, me incomodou. A saudade! Tive que aprender a conviver com ela. Porque eu sempre fui muito ligada à família, aos amigos, aos fatos e coisas de BH e de minha Minas Gerais.

Me lembro das minhas primeiras semanas em Maceió. Eu ligava para minha mãe, para ter notícias, e em meio a tantos assuntos ela dizia:
- "Tá todo mundo aqui. Estamos lanchando. Eu, Cristiano, Gustavo, Marcela, Priscila, Hique, Sônia, mamãe, Juliana, beltrano, fulano, blá blá..."

Nunca demonstrei, mas ouvir este tipo de coisa sempre me doeu muito. Várias vezes me peguei chorando sozinha, com um álbum de fotos nas mãos, relembrando tudo e todos que eu havia deixado para trás. Minha mãe, que me acha uma fortaleza, talvez só saiba disso agora.

Mas não era um choro de arrependimento, medo ou incerteza... era apenas saudade!!!
Saudade da família...
Saudade dos amigos...
Saudade dos encontros...
Saudade da terra...
Saudade do povo...
Saudade da comida...
Saudade! E quem é que nunca chorou de saudade?

Saudade...Um sentimento que eu tive que aprender a conviver.

E, dia desses, bateu uma saudade dos meus primos, que são muitos. Mas uma saudade maior de dois deles em especial: Mohammed (não, ele não é terrorista) e Samir.

Mohammed, da foto ao lado, foi meu padrinho de casamento. Com ele eu já desabafei, já chorei, já falei besteira, já falei "putaria", já ri muito, já dancei forró a noite inteira... E depois de tanto forró, a gente se deitou na grama da Praça Santa Tereza, lá em BH, e ficou ali olhando pro céu e batendo papo... Até quase amanhecer. Às cinco da manhã partimos pro Bolão, onde comemos um rochedão especial!!!

Mas nunca tivemos nada, que fique bem claro! Nossa relação sempre foi de grande amizade. Sinto saudade...Ele agora nem está mais em BH... E poucas vezes nos encontramos, porque as datas nunca coincidem...

Outro, que também sempre teve um papel especial enquanto primo, é Samir. Engraçado que durante anos ele viveu fora de BH por causa dos estudos. Mas teve uma época, em que ia para lá de férias, que era certo da gente se encontrar. E aí vinham churrascos, baladas, boates...

Nos braços de parte dos primos no dia do casório.


O mais bonitinho é que, vez ou outra, ele me liga só para dizer que está com saudade. A última vez foi durante a Copa do Mundo.
- Oi Prima!
- Oi primooo!
-  E aí beleza??? Tô te ligando porque deu saudade "docê" uai... Saudade demais! Quando é que você vem pra BH???

Na foto acima, ele é o terceiro da direita para a esquerda! Fala sério gente... sou mesmo privilegiada! Família MARA(vilhosa) que eu tenho!!!! Primos mara!!!!


De negativo deles só o ciúme!!! Como somos todos de idades parecidas, me lembro de festas em que eu não podia paquerar porque eles davam demonstrações quase explícitas de ciúme.

Uma vez formaram um círculo em volta do menino... Só para mostrar que comigo não se podia mexer! Mas eu entendo... era um ciúme de proteção, coisa de primo e irmão! Hoje damos risada relembrando tudo isso!!! Na foto abaixo, uma pequena parte dos primos da Família Andrade...


E num dia em que eu falo tanto de saudade, vou amenizar um pouco esse sentimento. Daqui a pouquinho minha irmã chega de BH!!! Para passar o fim de semana! E é por isso que vou curtir cada minuto como se fosse o último!

16 de setembro de 2010

Um trem chamado Pau Verde...

Dia desses parei um homem na rua para pedir informação.

- Moço, bom dia. Onde fica a casa de material de construção?
- Bem ali ó, em frente àquele pau verde.
- Onde? Não tô vendo...
- Ali ó dona, aquele pau verde ali.
- Pau verde??? Aonde moço???
- Não tá vendo dona??? Ali...... o pau verde!
- Desculpa moço, mas continuo não vendo o pau verde.
- Tá, eu vou levar a senhora lá.

Fomos andando e quando vi um toco de madeira num tom verde-água, perguntei:
- Ah, aqui... esse pau verde?
- Não dona... Não é possível que a senhora não tá vendo o pau verde.
- É moço... realmente não tô vendo.
- Pronto, chegamos! Aqui a casa de material de construção....
- Sim, e cadê o pau verde???
- Aqui ó!
- O senhor tá dizendo que pau verde é a árvore???
- É.... um pau verde... "Madeira" e folhas verdes...

Alguém me diz se eu sou burra???
Ou será ele?
Ou será apenas uma expressão regional, coisa da Bahia???

Vou dar um desconto.... porque, se fosse em Minas, um bom mineiro diria...
- Fica logo ali ó, em frente àquele "trem"!

15 de setembro de 2010

14 de setembro de 2010

Amor incondicional

Que o gol de Obina no último domingo, no jogo entre Galo e Grêmio Prudente, foi mais do que espetacular isso ninguém duvida...
Que o Galo mais lindo do mundo não está bem... também não é novidade.

Mas, apesar do "colapso", o amor ao Galo é como amor de mãe para filho: incondicional.
E contagia! Vejam o depoimento de um atleticano sobre a paixão alvinegra...

A gravação abaixo também é delirante. Recebi por e-mail com as seguintes informações...
"Almir Amarante é da prateleira de cima da música clássica brasileira, dos quadros da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo – OSESP. Prestou uma homenagem rara ao Atlético, segundo os experts, dificílima de se fazer: montou os arranjos e executou o hino do Galo em um octeto de contrabaixos. Gravou cada um separadamente e depois os juntou. Ouçam e vejam o espetáculo: imperdível. Raça, garra,suor e paixão."


E viva o Galo!
Saudades do Mineirão e de gritar:
"A galoucura canta, a massa se levanta......
E só dá Galoooooo!"

Bons tempos virão!!!!

13 de setembro de 2010

Quando a gente desmorona...

Eu iria fazer a última entrevista que faltava para completar a reportagem. E então o telefone tocou.
No visor, apareceu "Daiane Babá". Dei um "end" para retornar em seguida, como faço de costume. Eu iria ligar dali a uns cinco minutos. Seria somente o tempo para terminar a matéria. Mas ela nem esperou e ligou de novo.

Então retornei. E ela disse:
- Samuel está preso no elevador. Estávamos no play e quando apertei o 2, o elevador desceu e ficou preso na garagem. Estou com medo.
- Você está com Samuel né? (porque pelo que começou falando eu cheguei a pensar que ele estivesse sozinho)
- Sim... Estamos presos... Tô com medo.
- Fique calma. Vocês estão bem? Como está Samuel? Já ligou para o porteiro?
- A gente tá bem. Mas eu tô sem crédito e não liguei para o porteiro (que diga-se de passagem é namorado dela).
- Tá, eu vou ligar para ele. Fiquei calma.

Liguei para o porteiro. Avisei do ocorrido. E liguei para o marido, que estava quase chegando em casa.
Certa de que tudo iria se resolver, fiz a última entrevista da reportagem, mas com o pensamento todinho em Samuel.

Terminei a entrevista e voltei a ligar para a babá.
- E aí? Como está? Tá tudo bem?
- Tá, o porteiro já chegou aqui. Mas Samuel está fechando os olhos. Querendo dormir....
- MAS ELE TÁ BEM? Não deixa ele dormir não. Tente distraí-lo, brincar com ele....Deixa eu falar com ele....
PAUSA...
- Oi anjo... Tudo bem?
- Tudo. (uma voz baixinha e sem ânimo)
- Oi meu amor! O que você está fazendo? Meu amor?
- oi....
- Alô Dai! Tente distrair Samuel...

Desliguei o telefone com o coração a mil. As pernas bambas, o coração acelerado...
Eu só pensava nas palavras dela: "Samuel está fechando os olhos... querendo dormir". Sem tê-lo por perto, comecei a imaginar que estava faltando ar...

Só Deus sabe como fiquei. Liguei para o marido e pedi que fosse voando para casa. Liguei para o porteiro de novo, que disse que já tinham chamado o técnico de elevador. Comentei com os colegas de trabalho, que falaram logo" ligue para os bombeiros!".

É verdade. 190!
- Alô, é da polícia? Na verdade eu tenho um chamado para os bombeiros. (*gente insana faz de tudo né?)
- Pois não senhora, é polícia e bombeiros também.
- Sim. É que eu estou trabalhando e meu filho está preso no elevador do prédio com a babá.
- Qual a idade da criança? Ele está sozinho?
- 2 anos. Está com a babá.
- Certo. Qual o endereço?
- Rua...(respiração ofegante e nervosa)
- Rua?
- Rua "x" de...(voz embargada de choro)
- Pois não senhora? Rua "x" de"????
- Rua x de y...(chorando)
- Se acalme senhora. Já estamos enviando uma viatura...
- Sim... (chorando) Obrigada.

As lágrimas corriam e os colegas de trabalho corriam ainda mais para guardar o equipamento e voar comigo para minha casa. Me despedi dos entrevistados chorando e com a maquiagem borrada.

Entrei no carro e voltei a ligar para o porteiro, que me disse que estava com a porta do elevador aberta para o ar circular. Liguei para o marido, que tinha acabado de chegar em casa. Ele interrompeu a conversa e disse:
- Sai Dai..Corre. Vem Samuel.
- Marcones, e aí?
- Eles saíram. Conseguimos abrir a porta do elevador. Tá tudo bem.

Foram os vinte piores minutos da minha vida! Mais tensos do que quando achei que Samuel estivesse com pneumonia. Me acalmei, agradeci a Deus (e à Madre Paulina) e respirei aliviada.

Mas voltei a ligar para o marido.
- Samuel está bem mesmo???
- Tá, tá tudo bem.. Só Daiane é que desmaiou... duas vezes. Mas ela tá voltando....

Minha Nossa Senhora!!!!
Que dia viu?? Se eu estivesse com Samuel teria ficado tranquila. Mas longe, sem ver o rosto dele, ouvindo apenas o relato da babá, desesperei. Mas Deus existe. E é bom demais!

12 de setembro de 2010

Sunday sunday...

Bike ride this morning, with my colleague's english...

Afternoon fun with Samuel....


And good song for tomorroy.....

10 de setembro de 2010

Se eu fosse...

Uma cor, eu seria azul da cor do mar...
Uma flor, eu seria um lírio rosa...
Um animal, eu seria um leão, pela sua bravura...
Um perfume, eu seria o meu, de baunilha...
Um cheiro, eu seria bem docinho, como o da baunilha...
Um doce, eu seria chocolate...
Uma comida, eu seria a da minha mãe...
Uma bebida, eu seria a água...
Um pensamento, positivo...
Um mês, dezembro, do Natal, do meu aniversário, de estar com a família...
Um dia, 26, o do meu nascimento...
Uma direção, sempre em frente...
Um livro, "Uma só vez na vida", de Danielle Steel...
Um filme, "No amor e na guerra", que conta uma história de amor vivida pelo escritor Ernest Hemingway...
Um desenho animado, eu seria os "Smurfs"
Uma canção, "Além do Horizonte", de Roberto Carlos...
Uma fruta, eu seria a melancia...
Um pecado, eu seria o da gula...
Uma pedra, eu seria ônix, do meu signo...
Um clima, eu seria o inverno...
Uma parte da natureza, eu seria uma montanha de Minas...
Um sentimento, eu seria o amor, claro! De TODAS as formas...
Uma palavra, eu seria a verdade...
Um verbo, eu seria ACREDITAR...
Uma parte do corpo, eu seria os olhos...
Uma estação, eu seria a primavera, com flores por todos os lados...
Um conselho, "Carpe Diem...Aproveite o dia, a vida...aqui e agora! Você nunca será capaz de fazer o tempo recuar: aproveite este instante, cada instante, com deleite!"
Um trecho de filme, neste momento eu seria de "Cidade dos Anjos":

"Mas podemos ter asas sem auréolas. Podemos voar de braços abertos, sentir o frescor do vento tocar a pele montando bicicleta sem se machucar. E para que a capacidade de ler pensamentos? Quão bom é conhecer o outro a ponto de - por meio da afinidade e não do poder - desvendar o que ele pensa, descobrir o que ele sente, sentir o que ele sente e, simplesmente, poder acreditar no dom de amar. E por que não ouvir música de olhos fechados na beira da praia ao nascer e ao pôr do sol? Para isto não precisamos ser anjos. Basta dar asas ao coração, libertá-lo do medo da vida e entregá-lo ao sangue, ao sorriso, ao toque,ao frio da chuva, ao calor do sol, à lástima, à decepção, às derrotas, vitórias, à amargura ou à doçura duma fruta macia que se desfaz na boca como doces grãos de areia..."

8 de setembro de 2010

Eu, por eu mesma

Já tive orkut. Cansei.
Hoje não tenho mais.
Mas, se tivesse, talvez faria parte de algumas comunidades. Criaria outras...
Algumas seriam previsíveis, pela minha personalidade...
Outras, para muita gente, poderiam ser questionáveis...
Poderiam chocar...
Fazer rir...
Espantar...

Mas o fato é que cada um tem seu jeito né? Com defeitos e virtudes...
O meu???

Eu amo chocolate
Eu amo comer
Eu amo viajar
Eu amo minha família
Eu amo meus verdadeiros amigos
Eu amo dizer eu te amo
Eu amo dizer simplesmente "amo alguma coisa"
Eu tenho medo do escuro
Eu tenho medo de espírito
Eu sou ATLETICANA
Eu sou capricorniana
Determinada
Persistente
Estabanada
Teimosa
Algumas vezes rancorosa (coisa feia né???)
Outras impaciente
Incansável
Alto astral
Cheia de energia
Esquecida
Sim, eu esqueço tudo!
Como é mesmo seu nome?
Eu já chorei por alguém
Eu já chorei muito por alguém
Eu já quase nadei em um mar de lágrimas...hehehe
Eu choro até em comercial de shampoo (tá, tô exagerando!)
Eu já fiz alguém chorar
Eu IDOLATRO a minha mãe
Eu falo uai, trem e sô
Eu falo ôxe
Eu sou atrasada
Eu adoro batata-frita
Eu odeio trabalhar fim de semana
Eu odeio trabalhar feriado
Eu odeio gente inconveniente
Eu odeio ter hora para acordar
Eu detesto gente preguiçosa
Amo Vinícius de Moraes
Rei Roberto Carlos
Eu pechincho meeeesmo
Sou pão dura
Eu já cometi gafes, muitas gafes...
Já fui loira
Ruiva
Hoje sou natural
Tenho tatuagem
Tenho duas tatuagens
Quero mais tatuagens
Sou perfeccionista
Detesto bagunça
Sou neurótica com limpeza
Desconfiada
Otimista
Brava
Te incomodo?? Que peeena !!

7 de setembro de 2010

Ser mãe é...

... encontrar um brinquedo do seu filho dentro da sua bolsa...

... perceber que desenhou o contorno do pé do seu filho na caderneta de anotações do trabalho (e abrir bem na frente do entrevistado)...

... dormir toda "troncha" (e deixar o maior espaço do mundo só pra ele) quando ele decide ir pra sua cama...

... deixar de fazer coisas para você por causa dele...

... deixar de comprar coisas para você para comprar para ele...

... passar vergonha quando ele faz birra em pleno supermercado...

... mas também sentir o maior orgulho por qualquer coisa que ele aprende e faz diferente (e mostrar pra Deus e o mundo)...

... enfrentar uma multidão para levá-lo ao 7 de setembro (e não conseguir ver quase nada)...

... negar todo e qualquer doce, mas de vez em quando permitir só para ver a carinha de satisfação...


E como ser mãe também é babar, alguém aí me permite dizer que meu filho é TUDO DE BOM?

6 de setembro de 2010

Dia D

Dia do "zéééééxo", "sécso", SEXO!
Tá na hora de desligar o computador e fazer ousadia né?

4 de setembro de 2010

Pra embalar e sonhar...

Coisa boa é ouvir uma música e lembrar de alguém, lembrar de um momento, e das boas coisas que passaram pela vida.

Se minha vida tivesse uma trilha sonora, algumas músicas certamente estariam incluídas.

Pra começar, "Vida de Viajante" é uma que me faz lembrar dos tempos que vivi em Alagoas. E dos grandes amigos Rubem e Nivaldo - cinegrafista e assistente - , com os quais rodava o sertão em busca de boas reportagens.


Outra que fez parte de grandes momentos da minha vida leva meu nome: "Camila".
Para ouvir, basta clicar aqui.

Roberto Carlos com certeza estaria na minha trilha. Com muuuitas músicas.
"Como é grande o meu amor por você" embalaria todas as minhas relações de amor.


E "Além do Horizonte"? Até me arrepio.... Essa daí pra vida inteira...


Meus conterrâneos do Skank embalariam pelo menos duas...
"Sutilmente"...


E "Vou deixar"...
Essa daí é mais uma da minha vida aventureira... Me lembra quando deixei BH.


Outros conterrâneos, do Jota Quest, também não faltariam na minha trilha. Deles tem várias canções. A campeã??? "Do seu lado"...

Pra ouvir no carro, eu escolheria "Beautiful Day"...


Ou um sertanejo, no volume máximo, pra também lembrar Minas....
Neste caso, "Lugar melhor que BH", dos mineiros de coração César Menotti e Fabiano.


Pra começar a embalar a noite, eu iria de "Noite do Prazer"...
Pra ouvir, só clicando aqui.
Depois, pra dançar ainda mais, eu partiria para MC Leozinho, com "Ela só pensa em Beijar"...


Pra dançar mais e mais, "Já sei namorar", pra se sentir livre, leve e solta (no bom sentido, viu?)


E se um dia eu acordasse triste e sem ânimo, eu olharia pra trás e diria "Valeu a pena, sou pescador de ilusões....e estarei pronta pra comemorar!"

2 de setembro de 2010

Agradecimentos, fotos e afins...

Antes de mais nada, queria agradecer por cada comentário, de cada post que publico aqui. Antigamente eu respondia um por um.... Mas, depois que Samuel nasceu, o tempo ficou ainda mais escasso. Então acabo respondendo só quando alguém faz perguntas ou tem dúvidas. E quero agradecer especialmente pelos comentários do post sobre as birras desta "fasesinha" cruel dos pequenos. Bom saber que toda mãe descabela e que toda criança, de alguma maneira, vive isso....e que essa fase passa!!! Ufa!

No mais, foto, que isso é bom! Essa daí embaixo foi na última segunda-feira, numa manhã de praia com Samuel. Fala sério: é ou não é um luxo poder ir pra praia em plena segundona???? Só quem vive em cidade de praia tem este tipo de privilégio. Minha irmã uma hora dessas tá se coçando de raiva lá em BH...Uhuuuuu!

Pra encerrar, vídeozinho do meu gostoso falando "babu babu babu" (leia-se www)!
Este é para assistir com pipoca e guaraná!